Anúncio
Anúncio

Uma velha polêmica dos antigos vestibulares volta à tona graças a uma operação da Polícia Federal. Batizada de Operação Capitu, em que foram presos Joesley Batista e o vice-governador de Minas Gerais Antonio Andrade, entre outros, por esquema de pagamento de propina. A inspiração se deu pelo fato de que a Polícia Federal considerou que os investigados teriam “dissimulado” ações criminosas.

O termo “dissimulado” é recorrente no texto de Dom Casmurro como a discrição de Bentinho aos olhos verdes de Capitu.

“olhos de cigana, oblíquos e dissimulados” e através dessa observação o autor nos introduz ao mundo obsessivo de Bentinho, em que cria a convicção, sem provas, de que está sendo traído por sua esposa com seu melhor amigo, Escobar.

Advertisement

Porém, mais de um século se passou desde que a famosa obra foi criada, muitos tabus foram rompidos desde aquela época e um luque mais abrangente se abre com coragem para interpretações mais polêmicas sobre a questão: Teria realmente Capitu traído Bentinho com o melhor amigo dele? Ou o que vemos, desde o início, é Bentinho traindo Capitu com Escobar?

Capitu traiu Bentinho afinal de contas?

Numa interpretação mais aprofundada, vemos a ênfase que Machado de Assis dá a beleza de Capitu e de Escobar, em detrimento do introspectivo Bentinho, que na real não sabendo nem se era belo ou feio. O termo “casmurro”, como ele se define desde o início, pode-se definir no linguajar atual como recalque. Assim temos um Bentinho recalcado com a beleza alheia, invejando e desejando o melhor de ambos.

Em nenhum momento vemos Escobar dando demonstrações de ciúmes com Sacha e nem vemos Bentinho relatar nenhuma fala de Escobar para Capitu com insinuações.

Advertisement

O foco é nela a traidora, de olhos de cigana, oblíquos e dissimulados. Bentinho a definiu assim e nada que ela fizesse mudaria sua visão pré-concebida.

Mas não vemos Bentinho falar assim de Escobar. Ele é lembrado sempre com muito carinho, belo e amigo. Para um homem traído, em nenhum momento Bentinho demonstra ódio, espezinha ou diminui o rival, pelo contrario, sempre tece elogios a seu porte, beleza, carisma e atitude, mesmo quando conclui que seu filho só pode ser do outro por ser belo como ele e nada parecido consigo mesmo, casmurro e apático.

Bentinho traiu Capitu com Escobar?

A teoria sobre o amor de Bentinho por Escobar não é nova, já foi defendida por Millôr Fernandes, embora o escritor defenda a tese de que Escobar era amante de ambos e pai do filho de Capitu.Isso porque há um trecho em que Bentinho chama Escobar de “comborço”. Nos tempos antigos esse termo significava “parceiro de cama”.

Porém a grande maioria das teses refletem mais sobre a culpa ou inocência de Capitu do que a idoneidade de Bentinho, perpetuando a imagem de vítima e marido traído.

Mas por que tão raro cogitarem uma tese sobre a possível homossexualidade de Bentinho e seu amor silencioso por Escobar?

O tabu tinha bastante força naquela época, tempos difíceis mesmo na Europa moderna e avançada, onde Oscar Wilde fora preso pela acusação de pederastia.Sim, era crime o amor entre o mesmo sexo, o pecado ao qual “não se ousava dizer o nome”.

Essa semana, por inspiração da operação policial, bombou no Twitter o levante polêmico sobre a questão. A blogueira Rosa de Nagasaki esmiuçou a questão em seu perfil detalhes do livro que nos enveredam por essa versão, desde a auto-afirmação masculina de Bentinho com o beijo de Capitu à influência visceral da convivência com os padres nos tempos de seminarista, por exigência de sua fervorosa mãe, até enfim, detalhes e gestos, toques carnais como apertos de mão aos quais Machado de Assis dedicou um ou dois parágrafos.

Veja trechos de possíveis conotações

“Escobar apertou-me as mãos às escondidas, com tal força que ainda me doem os dedos.”

“Apertei as mãos de Escobar, foi uma total ausência de palavras, assinamos o pacto. Elas vieram depois, de atropelo, afinadas pelo coração”.

Vendo por esse ângulo, temos a solução do mistério como Bentinho sendo ciumento pelo ciúmes de Capitu com Escobar e pela inveja da beleza de ambos, que em sua mente insana os bastava e os aproximava, Bentinho criou um caso entre eles para espiar seus próprios demônios internos.

Concluí-se, nessa versão, que Capitu era inocente... a traição partia de Bentinho com ele mesmo.

Resta a dúvida, que fica para outra eternidade de debates: se Escobar correspondia Bentinho, ou se tudo não passava de um grande amor retraído, ao qual o casmurro Bentinho nunca teve coragem de assumir.