Dos quadrinhos para a vida real, a Turma da Mônica já é amada por 4 gerações de leitores. Criados pelo desenhista Maurício de Sousa, que na vida real tem 10 filhos e uma geração de netos e bisnetos, a turminha cresceu junto, agregou novos personagens e foi se adaptando aos novos tempos, sem perder a essência de viver sempre novas aventuras.

Laços é baseado na Graphic Novel escrita pelos irmãos Victor e Lu Cavaggi, que foi lançada pela editora Panini em 2013, no projeto Graphic MSP, que promoveu releituras dos personagens da Turma da Mônica sob a visão de outros artistas brasileiros.

Publicidade
Publicidade

Laços ganhou o 26º Troféu HQMix, e ganhou uma continuação em 2015, Lições.

Maurício de Sousa já conquista fãs há 4 gerações. Começou sua carreira nos quadrinhos quando era desenhista da página policial de um jornal. Criou seus primeiros personagens, Bidu e Franjinha, numa sátira política, e depois foi desenhando outros. Mônica nasceu numa tira do Cebolinha, e já na estreia demonstrou sua força feminista.

Maurício, o pai

Maurício se inspirou nas próprias filhas para criar as primeiras personagens femininas, observando de casa: Mariângela, a primeira filha, é Maria Cebolinha, a irmãzinha bebê do Cebolinha, Mônica, a mandona, e Magali, a magrinha comilona.

Publicidade

Foram as características humanas, falhas e sinceras que incluiu nos personagens que os fez mais verdadeiros e amados.

A Mônica é a dona da rua, dentuça, baixinha e gorducha. Cebolinha é o mais esperto, fala “elado”, cria planos infalíveis e quer derrotar a Mônica. Cascão o melhor amigo do Cebolinha, é criativo, tem medo de água e nunca tomou banho. Magali, é delicada, ama gatinhos e é muito comilona.

O Sumiço de Floquinho

A história gira em torno do sumiço de Floquinho, o lhasa apso verde do Cebolinha.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Cinema

Para encontrá-lo, é preciso bolar um plano infalível e juntar toda a turminha com suas habilidades. As características de cada um contam e o filme foi bem sutil ao mostrar cada uma com seu diferencial, sem esquecer que são crianças, como na vida real, com suas virtudes e peraltices.

É importante ler os quadrinhos antes de ver o filme. Os pais devem ler com os filhos, acompanhar a leitura e se deixar envolver, principalmente ao ler Laços. Pais desavisados que não lêem já estão gerando certa polêmica no Twitter, pois o único personagem com modificação gráfica é Floquinho, que mantiveram como um cãozinho verde, da raça lhasa apso para interpretar.

Quem interpreta é Floquinha, uma filhote criada pelo próprio Maurício, quem acompanhou seu crescimento com carinho e esperou naturalmente o crescimento dos pêlos, já advertindo que ela nunca foi pintada para as filmagens, são apenas efeitos de computação.

As crianças entendem que nos quadrinhos os animais tem cores diferentes. Bidu real é um schnauzer negro, mas nos quadrinhos é azul. Porém alguns adultos preocupados com os animais se questionavam se as crianças não iam tentar pintar o cãozinho de casa como no filme.

Publicidade

A dica é ler as histórias junto com as crianças, entrar no mundo delas e explicar e entender que se trata de uma personagem fictícia.

Há mais de 50 anos Floquinho é verde e há uma explicação para isso na história do filme, graças a um outro personagem que será muito importante na história e será interpretado por Rodrigo Santoro: O Louco!

Confira o trailer

Laços estreará em julho de 2019, dirigido por Daniel Rezende e os personagens estão com a roupagem original, da década de 1960, quando foram criados.

Publicidade

Na adaptação, Mônica tem cabelo chanel e sapatos vermelhos, Cebolinha tem mais que 5 fios, tem um cabelão com mechas espetadas, como o original das tiras de jornal, Cascão usa suspensório, é moreno e tem os cabelos anelados, e Magali tem cabelo comprido amarrado e vestido rodado.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo