Nesta última sexta-feira (12) chegou ao catálogo da Netflix o filme "À Queima-Roupa" (Point Blank). O longa é dirigido por Joe Lynch, com roteiro de Adam G. Simon e tem como protagonistas Anthony Mackie e Frank Grillo.

O longa-metragem de 1h26 de duração custou modestos US$ 12 milhões.

O filme pode despertar o interesse de muitos espectadores por conta da presença dos dois atores principais, que já marcaram presença nos filmes da Marvel Studios. Anthony Mackie, como o super-herói Falcão, e Frank Grillo, como o super-vilão Ossos Cruzados.

O filme é um remake de uma produção francesa de 2010. Curiosamente, esta é quinta adaptação desta trama, que já teve uma versão feita na Índia e outra na Coreia do Sul.

A trama

"À Queima-Roupa" acompanha um dia na vida de Paul (Anthony Mackie), enfermeiro prestes a se tornar pai.

Mas nesse dia, a esposa de Paul, grávida de quase 9 meses, é sequestrada, o que leva o personagem a se unir a um criminoso para poder salvar a mulher e o filho que está para nascer.

O longa-metragem inicia seus trabalhos com uma sequência alucinante, com tiros, fuga e um atropelamento.

O filme segue neste ritmo alucinado até o seu final.

Infelizmente, a ação ininterrupta desta produção não garante qualidade à trama. O possível questionamento que o filme possa querer transmitir para o público –até que ponto alguém seria capaz de ir para salvar um ente querido– fica praticamente escondido na trama.

Apesar das boas atuações do elenco e principalmente da dinâmica entre os dois atores principais, a velha fórmula de juntar dois personagens em lados opostos da lei e que acabam por tornarem-se algo próximo de amigos não funciona nesta produção devido às situações inverossímeis que são apresentadas durante quase todo o filme.

A narrativa caótica desenvolvida por Joe Lynch faz com que este longa-metragem tenha elementos desarmoniosos entre si, com situações das mais bizarras possíveis, como uma mulher prestes a dar à luz que enfrenta um assassino treinado.

Até mesmo a trilha sonora de "À Queima-Roupa" segue o clima caótico da trama, em que raramente as músicas executadas estão de acordo com o clima das sequências em que estão inseridas.

Há desde punk hardcore até funk da década de 1970 e o mega hit oitentista "Here I Go Again" da banda de hard rock Whitesnake. Neste caso específico, a canção até está de acordo com a sequência em que ela está inserida, mas infelizmente já era tarde demais para salvar o filme.

Com um roteiro apressado que entrega o que será o filme em menos de dez minutos, a produção até pode ter alguns momentos empolgantes, mas isto é insuficiente para que o filme agrade a um público um pouco mais exigente.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!