Com o intuito de movimentar a economia Brasileira, o governo federal anunciou para a primeira quinzena do mês de setembro a “semana do Brasil”. Um período comemorativo de estímulo ao consumo na data de aniversário da independência do país.

O evento baseia-se na tradicional “Black Friday” que ocorre mundialmente, uma ação promocional criada nos Estados Unidos, onde as redes de varejo de todo o país se unem para proporcionar descontos e movimentar a economia. Tradicionalmente ocorre na última sexta-feira de novembro, um dia após o feriado de Ação de Graças. Entretanto, o governo quer aproveitar a data comemorativa da Independência do Brasil para realizar a ação.

Mais de 100 associações comerciais encontraram-se com integrantes do governo para detalhar a “Black Friday Brasileira”. Não há, porém, muitas informações de como irá ocorrer e quais empresas aderiram à campanha. Mas o governo está correndo atrás de adesões, e busca colocar a ação no calendário nacional.

Por que uma Black Friday agora?

Setembro é o mês mais fraco para o comércio varejista, justamente por não haver datas comemorativas. Por outro lado deve-se levar consideração à desaceleração mundial conduzida pela Guerra comercial entre Estados Unidos e a China. Esta crise global pode frear a economia brasileira.

Em cenários de crise econômica, as pessoas buscam guardar dinheiro ao invés de gastá-lo.

Entretanto, se não há consumo, as empresas tendem a ter prejuízo, e, junto com isso, acabam demitindo funcionários. O varejo é o termômetro da economia. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o volume de vendas do varejo já caiu em comparação com períodos anteriores.

Turismo também estará presente

O setor de turismo também estará presente. Em nota para o site Money Times, o Secretário de Estruturação do Turismo, Robson Napier afirmou que a campanha contribuirá para aumentar o fomento do turismo nacional. Com isso, será possível promoção em passagens aéreas, pacotes de viagens, além de outras ações.

O turismo é uma importante ferramenta para a economia Brasileira, representando 8,1 % do PIB em 2018. Dados do anuário estatístico de turismo, fornecido pelo Ministério do Turismo, mostram que os turistas internacionais injetaram US$ 5,92 bilhões na economia.

Liberação do FGTS

A partir do mês de setembro a Caixa Econômica Federal irá liberar o saque de até R$ 500 por conta ativa ou inativa do Fundo Garantidor por Tempo de Serviço (FGTS). O pagamento começa o dia 13 de setembro, durante a semana da “Black Friday Brasileira”. Os saques do FGTS e do PIS para este ano irão resultar na injeção de R$ 30 bilhões na economia.

Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!