Nas últimas semanas se instaurou uma crise dentro do PSL, com intrigas, desentendimentos e troca de farpas entre bolsonaristas e dirigentes do PSL. A briga vem crescendo e, a cada novo dia, parece não dar trégua.

Na manhã desta terça-feira (22), o diretório do PSL encaminhou para o Conselho de Ética do partido o julgamento da conduta de parlamentares que foram notificados de indisciplina. Desde do início desta manhã, a executiva do partido está reunida em Brasília para discutir a suspensão de 19 parlamentares, entre eles um dos filhos do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro (SP).

No entanto, o grupo bolsonarista obteve uma liminar para evitar a suspensão. De acordo com juiz Alex Costa de Oliveira, as notificações entregues aos parlamentares não estavam completas, então suspendeu os processos disciplinares.

Esta suspensão acontece logo após a uma guerra de listas para definir o novo líder do PSL na Câmara. O deputado Delegado Waldir (GO) renunciou ao cargo de líder do PSL, nesta segunda-feira (21), para pacificar a briga entre bolsonaristas e bivaristas.

Uma lista com 28 assinaturas indicava o nome de Eduardo Bolsonaro para liderar a sigla na Câmara.

A tal lista não agradou os aliados do presidente do PSL, Luciano Bivar, que acusou o Governo de descumprir o acordo de pacificar a briga interna do partido.

PSL x Bolsonaro

O primeiro sinal que a relação entre PSL e Bolsonaro não estava bem aconteceu no início do mês quando um apoiador do presidente na entrada do Palácio do Planalto foi falar com o presidente e falou do PSL. Na ocasião Bolsonaro disse para o rapaz esquecer o PSL e que Luciano Bivar estava "queimado pra caramba".

O fato gerou desgaste dentro da sigla e a saída de Jair Bolsonaro passou a ser cogitada, assim como a criação de um novo partido.

Guerra de listas

Deste episódio em diante, apareceu uma carta em apoio ao presidente Bolsonaro, o PSL puniu quatro parlamentares que assinaram a carta. Em seguida, Bolsonaro e seus filhos pediram a auditoria das contas do PSL. Não parando por aí, Luciano Bivar vira alvo da Polícia Federal em investigação de candidaturas laranjas no PSL.

Nessa última semana, começaram a aparecer as listas do PSL, e a crise entre Jair Bolsonaro e o Delegado Waldir, então líder do partido na Câmara. Para tirar o líder do PSL do cargo surgiram listas do grupo bolsonarista e bivarista. Em seguida, Delegado Waldir retirou cinco parlamentares da vice-liderança da sigla.

No dia 17 de outubro, Bolsonaro tirou a deputada Joice Hasselmann (SP) da liderança do Congresso Nacional, no dia seguinte, mais 5 deputados são suspensos pela executiva do PSL. E o presidente Jair Bolsonaro decide processar o Delegado Waldir, após um áudio ter vazado no qual o deputado fala que irá "implodir" Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!