A Covid-19 é uma doença que surgiu na China no fim de 2019 e deixou o mundo em estado de alerta, provocando caos nos sistemas de saúde e funerários, principalmente nos países da Europa e nos Estados Unidos. O Brasil, como um dos últimos países a ser atingido pela transmissão comunitária da doença, teve muito tempo para se preparar para a sua chegada e evitar um colapso no sistema de saúde do país, algo que, infelizmente, não aconteceu, em grande parte, devido ao ceticismo do presidente Jair Bolsonaro.

Nesta terça-feira (28), Bolsonaro [VIDEO] fez questão de deixar claro que não pode fazer nada em relação ao número recorde de mortes por covid-19, que ultrapassou o número total de mortos da China pelo novo coronavírus.

"E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?", disse Bolsonaro. O presidente completou, ao ser questionado sobre os números, "sou Messias, mas não faço milagre".

"As mortes de hoje, a princípio, essas pessoas foram infectadas há duas semanas. É o que eu digo pra vocês, o vírus vai atingir 70% da população, infelizmente é a realidade, mortes vão haver, ninguém nunca negou que haveriam mortes", continuou Bolsonaro.

Ao ser informado que a transmissão estava sendo feita ao vivo em cadeia nacional, o presidente Bolsonaro tentou reverter a fala anterior utilizando um tom mais ameno: "Lamento a situação que estamos atravessando com o vírus. Solidarizamos com as famílias que perderam seus entes queridos que em grande parte eram pessoas idosas, mas é a vida."

Na internet, a fala do presidente ganhou repercussão e a hashtag "E daí?" passou horas em primeiro lugar nos trending topics do Twitter.

Internautas, artistas e políticos se mostraram revoltados com a declaração do presidente. "Eu tenho saudade do Brasil que chorava 71 mortos no acidente de avião com os jogadores da chapecoense. Perdemos a capacidade de nos emocionar? Hoje chegamos ao baixo ponto de ouvir E Daí? do presidente da república pela perda de 5000 irmãos.

Estamos errando muito." disse a atriz Leandra Leal via Twitter.

"E daí?

Eu procuro as palavras e elas não vêm. É tanta desumanidade que deixa a gente sem reação, mas preciso reagir. Não dá mais. Esse homem cruel e desalmado não pode continuar no poder. Congresso, STF, já chega!", declarou o cineasta Petra Costa em sua conta do Twitter.

Alguns outros internautas se mostraram indignados também com o fato de o próprio presidente estimular manifestações nas ruas que causaram várias aglomerações de pessoas e, inclusive, participar pessoalmente de uma delas, desrespeitando a recomendação de isolamento social da Organização Mundial da Saúde para contenção do avanço do coronavírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!