A situação de Tiago Nunes no Corinthians é bem delicada. Com o time eliminado na fase pré da Copa Libertadores da América e com remotas chances de classificação no Campeonato Paulista muitos torcedores são favoráveis a demissão do treinador. E ao que parece os dirigentes do clube também pensam da mesma forma.

O jornalista Juca Kfouri apurou que Mano Menezes, atualmente desempregado, foi sondado para retornar ao comando do Timão, em notícia que foi confirmada junto a fontes no Parque São Jorge em matéria publicada posteriormente no "Blog do PVC".

Apesar do desempenho ruim do Timão sob o comando de Tiago Nunes, o fato do clube cogitar o nome do seu ex-treinador deixa claro como o clube peca na questão de planejamento interno.

Por que o Corinthians escolheu Tiago Nunes?

Nas mãos de Mano Menezes o Alvinegro paulista deu início a uma das eras mais vitoriosas do clube. E o ponto forte dos times de 2008 até 2019 era o setor defensivo forte. Uma defesa sólida, que sofria poucos gols, e um ataque "econômico". Com raras exceções, o Corinthians era o time que jogava 'por uma bola'. Como os títulos foram conquistados ao longo destes anos, a torcida aprendeu a apoiar um time que "sabia sofrer".

Mas o péssimo segundo semestre em 2018 após a saída de Fábio Carille e os resultados ruins em 2019 (mesmo com o título do Paulistão) fizeram com que a diretoria buscasse por um treinador capaz de mudar o "DNA defensivo" do time. Dentre vários nomes especulados, a escolha foi em Tiago Nunes, com um ótimo trabalho no Athletico Paranaense.

Tiago Nunes mudou o Corinthians?

O treinador assumiu o Timão com liberdade para escolher a comissão técnica e sugerir reforços. E o começo do trabalho foi muito promissor, mesmo com pouco tempo de treino. Um meio de campo mais leve, sem um volante de contenção de origem e um Futebol mais vertical. Ao contrário do time reativo de outras temporadas, os torcedores percebiam um time mais ofensivo e com muita qualidade no toque de bola.

A vitória no clássico contra o Santos acabou sendo o ponto alto de um time que deixou a torcida empolgada em uma boa temporada. Era nítido que o 'Corinthians 2020' era diferente do time dos últimos três anos.

Treinador sentiu a pressão

A falta de resultados dentro de campo acabou pressionando o técnico, que sentiu o baque.

Isso ficou evidente nas escolhas que ele fez em termos de jogadores para algumas escalações. Pedrinho, que estava com a seleção olímpica do Brasil, foi titular do Corinthians no jogo da eliminação para o Guaraní-PAR, mesmo após Tiago Nunes ter declarado que o meia precisaria de tempo, já que não tinha treinado com o time.

Outras alterações questionáveis foram em relação ao jogador Camacho, mexendo na dupla de volantes, um dos pontos altos do time na temporada, e com relação à lateral esquerda, onde tirou o jovem Lucas Piton, que vinha tendo boas atuações, para colocar Sidcley, longe das melhores condições físicas. Posteriormente, Carlos Augusto, jovem que estava fora dos planos e treinando como zagueiro, foi utilizado como titular na lateral esquerda.

Falhas da diretoria do Corinthians

Dos reforços pedidos apenas Luan e Cantillo eram consideráveis essenciais para o técnico. Nomes como Rony e Michael, contratados por Palmeiras e Flamengo respectivamente, eram a preferência do treinador para reforçar o ataque alvinegro. Já para lateral-esquerdo os principais nomes eram de Jorge (que defendeu o Santos em 2019), Dodô (Cruzeiro) e Caio Henrique (atualmente no Grêmio).

Com problemas de caixa crescentes e com diversos jogadores contratados sem planejamento, a diretoria não conseguiu reforçar o time como Tiago Nunes esperava. Com opções limitadas, o treinador se viu sem alternativas táticas para mudar o time. Isso ficou evidente na queda de rendimento do colombiano Cantillo, melhor jogador do clube na temporada.

A 'cereja no bolo' está no fato da diretoria cogitar o retorno do seu antigo treinador. Por mais que Mano tenha conquistas importantes pelo Corinthians (Série B do Brasileirão, Campeonato Paulista e Copa do Brasil), ele é um técnico que tem preferência para times mais defensivos. Ou seja, a direção do clube estaria dando um passo atrás, indo contra a ideia inicial de ter um time mais ofensivo, com uma outra forma de jogo, motivo que foi citado para a escolha de Tiago Nunes.

É momento para troca de técnico?

É fato que o trabalho de Tiago Nunes deixa a desejar. E se não fosse a parada forçada por conta do coronavírus as chances dele ter sido demitido eram enormes, visto que muito provavelmente o Corinthians estaria eliminado do Campeonato Paulista.

Mas é importante citar que todos são culpados por essa má fase do Corinthians. Técnico, diretoria e jogadores. E por falta de bons nomes disponíveis no mercado, pensando em manter a mudança tática do time, o ideal seria manter Tiago Nunes assim que o futebol brasileiro volte a ser disputado.

Demitir o treinador com menos de três meses de trabalho seria muito precipitado.

Para o torcedor que está insatisfeito com o desempenho do time, o exemplo que pode ser citado é do técnico Tite. Depois da eliminação para o Tolima em 2011, o treinador foi bancado pela diretoria que deu a volta por cima e deixou o Corinthians para assumir a seleção brasileira após ter conquistado o Brasileirão, Libertadores e Mundial de Clubes.

Siga a página Futebol
Seguir
Siga a página Corinthians
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!