Uma das cenas mais impactantes do longa-metragem “Coringa” (2019), protagonizado pelo ator Joaquin Phoenix, teve inspiração em um acontecimento ocorrido na vida real. O caso real foi mostrado em “Condenados pela Mídia”, nova série documental da Netflix que tem produção do astro George Clooney. A curiosidade foi mostrada no site Observatório do Cinema, que relatou como a produção da gigante do streaming abordou a triste história real que foi adaptada para uma cena do filme dirigido por Todd Phillips.

Bernhard Goetz

No segundo episódio de “Condenados pela Mídia” é mostrado o caso de Bernhard Goetz, que ganhou a alcunha de “o vigilante do metrô”.

O caso ocorreu em 1981, Goetz era então um homem de 37 anos que trabalhava como técnico de eletrônica, ele foi espancado por três homens no metrô de Nova York. Todos os três agressores no final das contas acabaram não indo para a prisão. Porém, uma estranha situação voltou a acontecer com Bernhard Goetz alguns anos depois deste ataque.

No dia 22 de dezembro do ano seguinte, uma vez mais em um metrô de Nova York, o técnico de eletrônica mais uma vez foi vítima de tentativa de agressão. Desta vez ele foi confrontado por quatro rapazes afro-americanos do Bronx. A intenção dos jovens era assaltar Goetz, que naquele momento só possuía cinco dólares.

Traumatizado pela violência que já havia sofrido um ano antes, Goetz estava de porte de uma pistola que mantinha de forma ilegal, ele então sacou a arma e alvejou os quatro jovens.

Antes de efetuar os disparos ele teria dito “Eu tenho cinco dólares para cada um de vocês”.

Bernhard fugiu do metrô sem ser visto por ninguém e ficou desaparecido por alguns dias, mas acabou se entregando à polícia. Rapidamente ele ganhou da mídia o apelido de vigilante do metrô. Muitos moradores da cidade de Nova York estavam cansados da violência da metrópole dos Estados Unidos naquela época e acabaram apoiando a atitude de Goetz.

Ele acabou sendo absolvido da acusação de tentativa de assassinato e passou menos de um ano na cadeia por posse ilegal de arma de fogo.

Mas a história ainda não havia acabado. Passados 12 anos após o incidente, a mãe de um dos rapazes alvejados por Goetz moveu uma ação civil no valor de US$ 43 milhões contra Goetz. O filho dela ficou paraplégico e teve lesões cerebrais no episódio.

Depois do julgamento, Bernhard Goetz entrou com um pedido de falência, ele alegou que não tinha condições de pagar esta quantia.

A arte imita a vida

O cineasta morador de Nova York, Todd Phillips, usou esta trágica história para uma cena de “Coringa”, que é uma das mais violentas do filme. Arthur Fleck (Joaquin Phoenix) encontra-se traumatizado pela violência que presencia e sofre em Gotham. Assim como aconteceu com Goetz, Arthur estava em um metrô quando foi atacado por três homens e então ele saca uma arma e os mata. Depois ele desaparece da estação de metrô.

A diferença como o que aconteceu em dezembro de 1984 foi que as vítimas de Goetz tiveram ferimentos graves, mas não morreram, e enquanto na vida real os homens que atacaram Goetz eram negros, os agressores de Arthur Fleck eram jovens executivos brancos.

Atualmente Goetz continua em Manhattan, ele mora no mesmo apartamento em que vivia na década de 1980.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Cinema
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!