A Netflix estreia em agosto (12), a série documental "(Un)well" ("A Indústria da Cura"), que traz uma análise do aumento vertiginoso das terapias alternativas nos últimos anos, e o que pode estar por trás deste fenômeno.

No trailer que estreou quase duas semanas antes da série, uma voz afirma categoricamente: "Bem-estar: uma indústria global que vale trilhões de dólares. Isso traz saúde e cura? Ou somos vítimas de falsas promessas? Será que estamos realmente alcançando a cura?".

Esta prévia da nova série documental da Netflix traz de forma bem condensada depoimentos tanto de pessoas que defendem a cultura dos tratamentos alternativos quanto de profissionais que alertam para perigos e riscos do uso destes recursos não usuais.

Há também espaço para os depoimentos de pessoas que afirmam terem sido vítimas destas abordagens terapêuticas.

Também no trailer de "A Indústria da Cura", algumas frases mais enigmáticas trazem um pouco da ideia de mistério por trás da busca por tratamentos alternativos. Uma das falas diz que o que você vê é uma miragem, e o que está abaixo da miragem é o que deve ser buscado. Outras frases enigmáticas e abstratas retratam alguns anseios de encontrar algo que funciona para o bem-estar e a saúde, mas que não entendemos completamente.

Os que defendem

No trailer da nova série da Netflix, dentre as falas das pessoas que adotam procedimentos de curas incomuns está uma mulher que afirma usar picadas de abelhas como forma de terapia alternativa: "As abelhas são as minhas médicas.

Elas me dão remédio", disse.

Um rapaz afirma logo em seguida, enquanto vemos imagens de suas atividades físicas: "Acho que o jejum é tão poderoso quanto remédios", disse.

Entre outras frases estão afirmações de a ayahuasca existe para salvar a humanidade, ou que exaltam o leite materno como forma de tratamento alternativo. São mencionados jejum, tantra e até mesmo uma crítica à marginalização dos óleos essenciais.

Os que condenam

De outro lado, profissionais que afirmam que no meio de tudo isso há bastante charlatanismo e crenças infundadas.

Podemos ver isso nas frases ditas ao longo do trailer. "Há tantos tratamentos naturais malucos por aí", diz um dos entrevistados, dentre os que fazem um alerta aos tratamentos alternativos. Há abordagens que afirmam ter semelhanças com cultos (seitas), se aproveitando de donas de casa e mães, e até a cautela que se deve ter em relação aos riscos da terapia com veneno de abelhas.

O trailer apresenta ainda pessoas que se consideram vítimas dos tratamentos alternativos, com afirmações sobre suas histórias pessoais, querendo contar suas histórias. "Fizeram lavagem cerebral em mim. Eu acreditei neles", diz uma delas.

Os que analisam

Há ainda quem invista em tentar entender o fenômeno, dos pontos de vista social e antropológico, arriscando teorias sobre o porquê das terapias alternativas estarem ganhando cada vez mais espaço. Eles afirmam que as pessoas querem o controle de sua saúde, e buscam fazer suas próprias pesquisas, buscando respostas por estarem muitas vezes desesperadas.

Realizadores da série da Netflix

Os produtores da série, Stuart Fero, Ken Druckerman, Anneka Jones, Erica Sashin, e Banks Tarver, trazem toda sua experiência de anos produzindo documentários para o Frontline, um programa de documentários para TV que está no ar nos Estados Unidos desde 1983.

Sobre "A Indústria da Cura", na página da série no IMDB (Internet Movie Data Base), a Netflix afirma que esta série documental mergulha fundo na lucrativa indústria do bem-estar que afirma promover saúde e cura e termina a descrição com uma pergunta, indagando se estas tendências cumprem realmente o que prometem.

Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!