Estreou na última sexta-feira (31), na Netflix, a segunda temporada da série “The Umbrella Academy”. A produção é inspirada na HQ homônima de Gerard Way e Gabriel Bá. O site Omelete entrevistou o elenco e também o cocriador e showrunner da produção da Netflix, Steve Blackman.

Blackman disse ao site que sabe que existe uma graphic novel e uma atração televisiva e que as duas obras não serão exatamente a mesma coisa. Ele afirmou que sua visão sobre a série da gigante do streaming é que ele a considera como se fosse um filme de dez horas, então Steve deseja que as pessoas maratonem a obra para que possam ter um entendimento melhor, afirmou o executivo.

Número 2

O ator David Castañeda, intérprete de Diego Hargreeves, é mais um da equipe da série que declarou que olha de maneira livre a graphic novel publicada pelo selo Dark Horse e a produção da Netflix. O ator afirmou que observou a maneira como o Diego dos quadrinhos se movimentava, ele tinha uma postura curvada e na visão do ator, os roteiristas melhoraram o “jeito seco” do personagem, elogiou David Castañeda.

Número 5 e Número 1

Aidan Gallagher, que interpreta o “Número 5”, afirmou que os livros o ajudaram a se inserir no universo desses personagens. Tom Hopper, que dá vida ao personagem Luther, ou “Número 1”, também afirmou que são tramas bem diferentes, mas ele revelou que levou para as telas vários elementos da graphic novel.

Nada mudou

A segunda temporada de “The Umbrella Academy” fala sobre os movimentos civis da comunidade negra dos Estados Unidos da década de 1960. Ao retratar a luta de homens e mulheres afro-descendentes na América e o racismo e a repressão policial que eles viveram, a produção faz uma conexão com os dias atuais no país de Donald Trump que enfrenta uma séria crise por causa do assassinato do cidadão negro George Floyd por um policial branco, o que gerou uma série de manifestações no país.

Steve Blackman falou que queria que estes problemas não mais existissem, mas não dá para negar que ainda temos que conviver com racismo e homofobia, lamentou ele.

Número 7

Além do tema do racismo ser abordado na trama da segunda temporada, não ficou de fora a homofobia. Na atual temporada, a personagem de Ellen Page, Vanya, a “Número 7”, vive um romance homossexual.

A atriz falou sobre o tema, ela afirmou que tem esperança que pelo amor que as pessoas têm pela série, eles se conectem com a história.

Número 4

Outro representante da comunidade LGBTQI+ na série é Klaus, o “Número 4”, vivido pelo ator Justin H. Min, ele disse que uma das coisas que mais lhe agrada na produção é como eles debatem problemas da vida real sem que precisem ser explícitos. Ele explicou que o arco de seu personagem não é sobre falar abertamente sobre homofobia ou sexualidade, mas isto faz parte do DNA de seu personagem, refletiu o ator.

Número 3

A atriz Emmy Raver-Lampman, que vive Allison, ou a “Número 3”, declarou que apesar de a produção ter um elenco relativamente grande, a boa relação que os atores têm entre si, ajuda no resultado final, “Nunca parece trabalho quando estamos todos juntos no set”, declarou a atriz.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!