Quem acompanhou a série “Vis a Vis” sabe que a trama se encerrou na quarta temporada. Porém, por causa de uma campanha fortíssima dos fãs, principalmente o público espanhol, a produção ganhou uma sobrevida.

Ao término da quarta temporada, Iván Escobar, produtor da série, confirmou que aquele era o fim da saga, Escobar deu a declaração em uma entrevista à TV Antena 3, que é a detentora dos direitos e da produção das duas primeiras temporadas de “Vis a Vis”.

Para os fãs da série espanhola, ficou claro que a trama se encerrou na quarta temporada, mas para aqueles que queriam ver mais aventuras das duas protagonistas da obra, havia uma oportunidade para se criar novos dramas envolvendo Macarena e Zulema, desta vez fora dos presídios.

Spin-off ou quinta temporada?

Foi a partir desta ideia que a Fox Espanha (que havia comprado os direitos da terceira e quarta temporadas), ainda que tenha negado quaisquer possibilidades de haver uma continuação da saga, mudou de ideia e anunciou que viria o spin-off “Vis a Vis: El Oasis”. Entretanto, a obra que chegou na última sexta-feira (31), acabou se tornando uma quinta temporada passada 12 anos após os eventos vistos na quarta etapa da saga.

Como já havia sido mostrado, naquele que teria sido o último capítulo da trama, Macarena e Zulema depois que saíram do presídio, se uniram e se tornaram ladras de joalherias. Mas se tratou apenas de uma rápida cena, e agora em “El Oasis”, é explicado como elas chegaram a formar esta parceria no crime.

A trama

Depois de uma carreira no mundo do crime, a dupla decide realizar um último golpe, mas tem que ser algo grandioso. Elas então planejam roubar uma tiara de diamantes da filha de um poderoso traficante mexicano, durante o casamento da jovem. As protagonistas então formam uma equipe para ajudá-las no roubo: a própria enteada do traficante; uma hacker; uma especialista em armas leves e uma antiga companheira de cela de Macarena e Zulema, Goya (Itziar Castro).

Como pode ser percebido pelo parágrafo anterior, a originalidade passou longe do roteiro de “Vis a Vis: El Oasis”. A série até consegue mostrar algo diferente do que já havia sido mostrado nos capítulos anteriores da saga, há um frescor na trama, pois agora ela não se passa mais em um presídio.

Há também uma clara preocupação com aspectos técnicos, a fotografia desta vez é mais bem cuidada, mas mesmo assim ainda assim segue velhos clichês de produções de Hollywood, também há uma movimentação de câmera mais interessante com o recurso que ganhou o nome de “câmera na mão”, por mostrar ângulos de câmera próximos aos personagens e com uma movimentação maior.

O ponto de partida da trama é até interessante, mostrar como seria possível existir uma relação de amizade entre as outrora rivais e ocasionalmente aliadas estratégicas, Zulema e Macarena. Mas isto é mostrado de forma pouco convincente na trama.

Ainda que “Vis a Vis: El Oasis” prometa – e cumpre – dar um encerramento nas histórias das duas protagonistas, o fraco roteiro deixa pontas soltas, principalmente no que diz respeito às atitudes traiçoeiras que ambas as protagonistas tomaram uma relação à outra. Ainda é visto na trama de 8 episódios com duração média de 45min cada subtramas que não acrescentam em nada à obra.

Existem duas tramas complementares à trama principal, a que fala sobre uma adolescente de 15 anos que é assediada pelo pai voyeur e a de um adolescente, com a mesma idade que sofre bullying por se assumir homossexual.

Esta segunda trama serve somente para dar protagonismo para a personagem Goya em uma das sequências mais marcantes da série e talvez a mais desnecessária, em que ela ataca um grupo de adolescentes com um bastão de baseball.

Outros pontos da trama que incomodam são suas referências explícitas à filmes de ação estadunidenses, a série parece uma cópia barata de filmes de Quentin Tarantino com influência de produções do tipo “Onze homens e um segredo”, além de usar vários clichês de westerns. Se a intenção foi fazer uma espécie de homenagem, a produção falhou em suas intenções. Mas isto não deverá ser um problema para os fãs fiéis de “Vis a Vis”, pois no quesito inverossimilhança, a quarta temporada foi imbatível.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!