A volta às aulas presenciais continua sendo motivo de muita discussão. Algumas autoridades, donos de escolas particulares e até mesmo profissionais da área da saúde, consideram que é possível o retorno. Segundo eles, as escolas podem sim promover a reabertura desde que se respeitem as normas indicadas por especialistas.

No entanto, há os que discordam dessa posição. Entre eles infectologistas, profissionais da área da saúde e também os pais. Entre os pais de alunos há os que apoiam que seus filhos voltem à escola, enquanto outros pensam que a liberação ainda é prematura, levando em consideração o número alto de casos e a falta de vacina.

Há ainda os que dizem não terem com quem deixar seus filhos, já que têm que sair para trabalhar.

Retorno às aulas presenciais exige cuidados

O retorno das aulas em escolas ainda este ano, é motivo de várias divergências, tendo em vista que alguns países que reabriram precisaram fechar novamente quando começaram surgir casos de transmissão da Covid-19.

Por essa razão, os governantes já estão preparando este retorno, mas para isso sabem que vão ter que fazer um planejamento cuidadoso: tem que haver distanciamento, muitas regras em relação a higiene e uso de máscaras. Somente respeitando todos os protocolos, pode haver segurança mínima para evitar o contágio.

Mesmo que as escolas reabram, a família terá poder de decisão se enviará ou não seus filhos, ou seja, mesmo com a volta às aulas presenciais, os alunos poderão continuar a realizar suas tarefas em casa, caso isso seja possível.

A maior necessidade para o retorno das atividades escolares de forma presencial é que muitos estudantes não estão tendo condição de acompanhar o conteúdo disponibilizado por professores, por falta de acesso à internet e outras dificuldades impedem o aprendizado em casa, estando assim, em situação de vulnerabilidade.

São Paulo já se prepara para retorno às aulas

O governador de São Paulo, João Doria, liberou o retorno presencial das atividades escolares no estado a partir de 7 de outubro, mas deixou os prefeitos de cada cidade com a decisão de organizar esse retorno. Para estudantes da rede estadual de ensino, especificamente, as atividades do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) devem retornar em 7 de outubro e o retorno das aulas para o Ensino Fundamental está planejado para 3 de novembro.

A cidade de São Paulo, de acordo com o Prefeito Bruno Covas, planeja a reabertura para o mês de outubro. O prefeito declarou que a volta às aulas presenciais se daria a partir do dia 7 para o Ensino Superior e que não seria obrigatória. Aqueles que preferissem, poderiam continuar a estudar de forma remota.

O prefeito ainda afirmou que todos protocolos seriam seguidos incluindo a ocupação nas salas que não pode ultrapassar 35% de ocupação. Em princípio, a reabertura das instituições seriam apenas para atividades extracurriculares, podendo assim, avaliar a segurança dessa retomada para depois dar continuidade as atividades letivas.

O que diz o Ministério da Educação sobre a volta às aulas

Após tema ser debatido no Congresso Nacional, Milton Ribeiro, Ministro da Educação, em debate com comissão no Congresso Nacional declarou que está sendo elaborado um protocolo que visa orientar as instituições de ensino, evitando assim a disseminação do vírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Educação
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!