A Netflix estreou em outubro mais uma série sobre zumbis. A produção "Cidade dos Mortos" é uma série russa que recebeu o título em inglês "To the Lake" para a distribuição mundial - originalmente, a trama se chama "Epidemiya".

Criação de Pavel Kostomarov, com roteiro de Yana Wagner e Roman Kantor, o enredo foi baseado no livro de sucesso Vongozero, escrito por Yana Wagner. A obra literária tornou-se um best-seller com tradução para onze países.

A trama

Um vírus desconhecido aparece na cidade de Moscou causando uma pandemia que leva desespero à população. O protagonista Sergei (Kirill Käro) tem que fugir para um lugar seguro com sua esposa e seu enteado autista, mas antes ele irá buscar seu filho e sua ex-esposa.

Ao grupo se juntam o pai de Sergei (que é quem sabe como chegar a um refúgio, localizado em um lago), além de seus vizinhos: um homem arrogante que leva sua esposa grávida e uma filha adolescente com problemas com álcool.

O que há de novo

Embora não seja exatamente uma novidade, a premissa vista comumente em filmes e séries de zumbis de mostrar que os verdadeiros monstros são os próprios seres humanos, é levada ao extremo na série russa de oito episódios.

O que torna isto ainda mais evidente, é a escolha da trama em centrar suas ações na luta das pessoas em se manterem vivas. Também há o fato de que quase não são mostrados zumbis em "Cidade dos Mortos", além deles saprecerem apenas como pessoas que foram contaminadas e que morrerão em breve.

No primeiro episódio da produção, são mostrados dramas dos personagens que futuramente irão se reunir. O vizinho de Sergei tem que lidar com uma adolescente rebelde e cuidar da jovem esposa grávida. O protagonista, por sua vez, tem dificuldade em manter uma relação amistosa com a ex-esposa, que o impede de passar mais tempo com o filho.

Em compensação, parece ter uma relação saudável com a atual esposa e seu enteado.

Em um jantar que reúne os vizinhos, o público fica sabendo o quanto o vizinho de Sergei é uma pessoa desagradável.

A arte imita a vida

Ainda no primeiro episódio, Sergei e a esposa assistem a um telejornal em que um especialista relata o aparecimento da estranha doença, o que causa desconforto na emissora e logo a transmissão é cortada, o que dá a entender que as autoridades querem esconder da população a gravidade do problema.

A trama parece querer fugir de muitos dos clichês deste tipo de produção, mas acaba caindo em outros.

Há na série o episódio tipo "Lost", em que é revelado o passado de muitos personagens. O roteiro não ajuda ao criar situações inverossímeis em que os personagens mostram atitudes mesquinhas em momentos inapropriados, quando questões de vida ou morte estão diante deles.

Mesmo sendo louvável a tentativa de sair do lugar comum, "Cidade dos Mortos" prende mais a atenção para saber como irá terminar a jornada de um grupo tão heterogêneo.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!