O Governo federal mandou a Israel uma delegação para buscar mais informações sobre um spray nasal em desenvolvimento no país para combater a Covid-19. Enquanto no Brasil o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desobedece sistematicamente as recomendações das autoridades sanitárias e de seu próprio Ministério da Saúde ao não usar máscara de proteção contra o coronavírus, a comitiva presidencial passou por uma situação em que, ao desembarcar em Israel, teve que usar o item de proteção contra o Sars-Cov-2.

O presidente Bolsonaro esteve no embarque do grupo que foi a Israel e tirou fotos junto com a delegação.

Todos os integrantes do grupo não estavam usando máscara. Porém, ao desembarcarem em Israel, a cena não se repetiu, e a fotografia que foi tirada no aeroporto israelense mostrava todos os membros do grupo usando o item de segurança.

Dentre os integrantes da comitiva estão o chanceler Ernesto Araújo e um dos filhos do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). Ao participar de um compromisso diplomático, o chanceler foi chamado a atenção para que colocasse a máscara ao posar para uma fotografia.

Israel

O país tem uma população de pouco mais de 8 milhões e meio de habitantes, dos quais 7 milhões já receberam a vacina, o que dá 81% dos habitantes do país, de acordo com os dados sobre vacinação do Our World in Data, até o dia 18 do mês passado.

Situação bem diferente à do Brasil, pois o governo federal ainda não mostrou competência para a compra dos imunizantes, o que fez com que governadores e prefeitos procurassem parcerias para eles mesmos comprarem as vacinas.

Segundo a última divulgação do Ministério da Saúde, o Brasil aplicou a primeira dose da vacina em pouco mais de 7 milhões e meio de habitantes, até às 17h30 da última quinta-feira (4).

Desse total, quase 2 milhões e meio de pessoas já receberam a segunda dose –no total, foram aplicadas pouco mais de 10 milhões de doses no país.

Spray nasal

O motivo da visita da comitiva brasileira ao país é buscar mais informações sobre um medicamento que ainda se encontra em fase inicial de testes, porém desde o mês de fevereiro, Jair Bolsonaro está em campanha para que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) dê o aval para que o medicamento seja utilizado no Brasil.

Até o momento, não existe nenhuma comprovação da ciência que o spray funcione contra a Covid-19, mas, ao anunciar que uma delegação brasileira foi mandada a Israel, Bolsonaro já estava falando em “remédio milagroso”, ao que parece, esta vai ser a nova aposta do presidente Bolsonaro em mais um medicamento sem nenhuma eficácia comprovada contra o coronavírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!