A justificativa emocionada do professor João, no “Big Brother Brasil 21”, para flechar o boneco do cantor sertanejo Rodolffo como pior jogador no jogo da discórdia desta segunda-feira (5) fez com que o apresentador do programa, Tiago Leifert, levantasse um tema importante para os participantes do "BBB21" na terça-feira (6).

Professor João e castigo do monstro

O cantor Rodolffo comparou a peruca que ele recebeu para compor seu personagem no castigo do monstro com o cabelo de João. O diálogo de Tiago Leifert com os brothers antecedeu o anúncio do eliminado da noite.

Tiago também explicou aos brothers que sairia naquele momento do papel de apresentador para se comunicar como aquele que goza do privilégio de interagir com os participantes do reality.

Na sua intervenção, o condutor do "BBB21" entendeu que o comentário sobre o cabelo de João estava reduzido apenas à influenciadora digital, Camilla, o professor João e ao economista Gilberto, mas quis envolver a todos.

Rodolfo magoou João

A insipiente defesa de Rodolffo de si mesmo, enfatizando que não teve a intenção de magoar o professor João, também teve influência na decisão do condutor do programa em falar com o brother sertanejo, “de homem branco para homem branco”, como avisou o próprio Leifert.

Acumulando a profissão de jornalista, Tiago Leifert frisou que o cabelo black power de João é um símbolo de luta e resistência, e não um penteado qualquer.

Professor João e amor-próprio

Lembrando seus tempos de colégio, ele destacou que os colegas da época brincavam com o seu cabelo, mas ele não via nisso um problema. Tiago acrescentou que nos anos 1970, os negros americanos exibiam o imponente black como símbolo antirracista, de modo a afirmar que sentiam amor-próprio.

Indo um pouco mais além, o jornalista lembrou que décadas atrás nos EUA, se uma pessoa branca entrasse num ônibus e não tivesse lugar desocupado, os negros deveriam se levantar e ceder seus lugares.

Leifert destacou ainda que frequentar restaurantes também era uma proibição para negros. Para melhor compreensão dos brothers e falando mais diretamente com Rodolffo, Tiago reiterou que, no caso da comparação, o cabelo do João foi associado a "algo feio, sujo e abjeto" com o comentário.

Além disso, entre os principais pontos abordados neste episódio, o jornalista pontuou a falta até pouco tempo de cosméticos para a pele de mulheres negras, como a de Camilla, ou de produtos para os próprios cabelos black power.

Ainda neste contexto, Tiago Leifet dirigiu-se aos brothers depois que fechou a votação desta terça-feira, ressaltando, na oportunidade, que o Black é a “coroa”.

Leifert afirmou que aprendeu sobre racismo com Alexandre Santana, o Babu, cujo apelido é considerado racista, já que é termo derivado de babuíno, uma espécie de macaco.

Ele explicou também que Babu participou do "BBB20" e adotou o apelido racista como nome artístico como forma de resistência. Para o cantor sertanejo, Tiago Leifert falou que não viu maldade na fala dele, porém considerou legítima a dor de João.

Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!