O Grêmio trabalha ainda no mercado da bola pensando em reforçar o elenco para a temporada. Até o momento apenas Rafinha e Thiago Santos chegaram ao clube. No entanto, a dupla desembarcou em Porto Alegre diretamente para o time titular, tornando-se peças imprescindíveis para o atual esquema de Tiago Nunes, novo comandante do Tricolor. Contudo, o Grêmio deve ir ao mercado, caso queira almejar consagrações maiores no ano.

Neste ainda início de trabalho de Tiago, o Grêmio tem problemas pontuais que precisariam ser resolvidos com a contratação de jogadores pontuais, capazes de acompanhar a leitura tática e estratégica do novo treinador.

Grêmio com dificuldade de marcar gols

Apesar de ter o melhor ataque no Gauchão, com 25 gols, o Grêmio acaba perdendo muitas chances claras cara a cara com o goleiro. Um problema que, inclusive, ocasionou a derrota para o Independiente Del Valle, na fase 3 da Libertadores, quando o Tricolor criou muito no primeiro tempo, mas não conseguiu transformar tais criações em bola na rede.

O problema, na realidade, persiste desde os tempos de Renato Portaluppi, que fez um pedido no início do ano à direção por jogadores finalizadores, cuja característica fosse de fazer gols.

Contudo, a situação persiste com a criação de jogadas, mas a deficiência no momento de finalizar. Por essa razão, o Grêmio deve ir ao mercado pensando em novas aquisições para o ataque (que ainda possui vaga em aberto pelo setor direito, atualmente ocupado por Léo Pereira) e no meio-campo, com a inconsistência dos talentosos Jean Pyerre e Matheus Henrique.

Grêmio e a dificuldade de defender

A defesa sólida e quase impenetrável do Grêmio tornou-se vulnerável repentinamente. Bolas aéreas têm sido um terror para o Grêmio, mas o fato de sempre levar um gol também tem se tornado um problema no cotidiano do Grêmio. Nos últimos cinco jogos, o Grêmio sofreu gols em todos. Foram seis gols sofridos em cinco partidas.

Principal destaque negativo tem sido a bola parada defensiva, que tem provocado sustos - e quase deu a vitória ao Caxias no confronto da semifinais, não fosse a ação de Brenno. Com o problema de posicionamento, o Grêmio tem ainda a questão envolvendo o revezamento na zaga, visto que as duplas de defensores se alternam constantemente.

O problema na lateral-esquerda do Grêmio

Para além da zaga, o problema da defesa se estende à lateral-esquerda. Bruno Cortez não mostra segurança, comete erros constantes na saída de bola e tem tido problemas em sua principal virtude: a capacidade defensiva. O lateral, que teve imensa importância na história recente do Tricolor, aparenta declínio técnico, tanto é que o Grêmio precisou ir ao mercado no meio da temporada de 2020 para trazer Diogo Barbosa.

O jogador, porém, não aprovou e agora o Grêmio deve ir ao mercado novamente ou ainda apostar na base com os bons Guilherme Guedes e Vitinho.

Siga a página Grêmio
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!