Na última sexta-feira, 13, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, anunciou o fim da internet ilimitada. Governo e operadoras já estão trabalhando para que, a partir do 2º semestre, aquilo que conhecemos como Banda Larga Fixa Ilimitada seja extinta e passem a limitar o acesso de seus clientes, da mesma forma como funciona hoje a telefonia móvel.

Ao que parece, os brasileiros podem dar adeus as séries da Netflix e aos jogos online, também aos seus canais favoritos do YouTube, vídeos do Vimeo, etc.

Tudo indica que parece ser isso que o cidadão brasileiro poderá esperar. Segundo entrevista do último dia 10, concedida ao Poder 360, Kassab afirma que "o governo sempre estará trabalhando para beneficiar o usuário, mas precisa ter um ponto de equilíbrio entre as partes, pois as empresas têm os seus limites".

O Ministro disse ainda que "nós vamos, no momento certo, deixar o serviço com maior elasticidade possível". E complementa que "o problema é o ponto de equilíbrio".

Revolta

As afirmações do governo sobre o tema tem provocado revolta na internet.

No dia do anúncio, foi o assunto mais comentado na web. Muitos usuários das redes sociais criticaram com veemência o Governo Temer, e deixaram registrado seu sentimento de revolta. O usuário @LEN comentou: "Tiraram Dilma para limitar sua internet, sucatear a saúde e educação, congelar salários e você morrer antes de se aposentar".

"Primeiro a gente tira a Dilma, depois tira a saúde, a educação, o direito de se aposentar e o acesso à informação!", afirmou também @Luzbertolle.

Abaixo-assinados

Quando a população ficou sabendo sobre os limites de dados nos respectivos pacotes de internet, na semana passada começou uma intensa manifestação nas redes sociais contra os limites propostos pelo Governo e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Michel Temer

Chegou a se falar em impeachment da Anatel, que é a responsável pelos serviços de telecomunicações no país.

Será que iremos retroceder? Enquanto isso, seguimos em frente.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo