O avanço da tecnologia proporcionou um aumento na facilidade de cumprir com as tarefas do dia a dia. Porém, esse mesmo avanço faz com que diversas profissões corram o risco de desaparecer. Um bom exemplo disso são os caixas de banco. Também cada vez menos procurados em função dos dispositivos eletrônicos, os profissionais que cuidam do check-in em companhias aéreas estão diminuindo, pois é uma atividade que foi praticamente toda robotizada.

Porém, nem todas as profissões correm risco de extinção. A tecnologia necessária para substituir carreiras pautadas na interpretação humana e na emoção tende a oferecer mais segurança neste sentido, mas um(a) enfermeiro(a) ou psicólogo(a), por exemplo, não poderia ser substituído por um robô com a tecnologia atual.

Seriam necessários avanços muito maiores da tecnologia para que essas profissões desapareçam do mercado de Trabalho. Veja abaixo a lista de profissões que correm risco de extinção até o ano de 2025:

1 - Operador de telemarketing: Hoje em dia você consegue ter autoatendimento online, o atendimento passou a ser digital. Não precisaria ter um interlocutor pessoa física para isso. Ou seja, os processos de autoatendimento serão cada vez mais simplificados.

2 - Carteiro: A função de entregador de cartas tende a registrar uma forte queda de demanda e, consequentemente, de oferta de empregos. A justificativa se dá porque as pessoas estão utilizando mais e-mails, redes sociais e sistemas de pagamento on-line.

3 - Trabalhadores rurais: A tendência é de automação e o advento de máquinas guiadas via satélite. Isso é justificado pelo uso cada vez mais comum de máquinas que realizam várias tarefas com maior rapidez do que o trabalho manual.

4 - Maquinista: Com os avanços tecnológicos também fizeram com que as indústrias precisem cada vez menos desse tipo de profissional.

Muitas empresas fazem a operação computadorizada. No Japão, por exemplo, é muito comum que os trens não possuam pilotos devido à automação das máquinas.

5 - Fiscal e coletor de impostos: A redução dos recursos das agências que contratam esses profissionais resultaram no declínio das contratações. Eles também são afetados pelos avanços tecnológicos e pelo armazenamento de documentos on-line.

6 - Repórter: O jornalismo dificilmente vai deixar de ser consumido, mas os famosos jornais impressos, que têm cada vez menos vendas e menos anúncios publicitários, correm sério risco de desaparecer. A verdade é que o leitor prefere conferir as versões online dos jornais. Graças a essa mudança de padrão, até 2022 haverá declínio de pelo menos 13% na contratação de jornalistas para jornais impressos.

7 - Trabalhador de impressão gráfica: Como o jornal impresso vai, com o tempo, parar de ser consumido, consequentemente, as empresas que costumavam imprimi-los deixarão de contratar novos operários, devido à falta de recursos. Nos próximos anos, a queda de contratação deve ser de 5%.

8 - Agente de viagens: O número de pessoas que planeja suas viagens através de um agente hoje em dia é muito pequeno e tende a diminuir, pois o acesso ao serviço através da internet é muito mais prático e acessível.

Você já deve ter reparado sites que oferecem os mesmos serviços que agentes de viagens.

9 - Operadores de refinarias e extração de petróleo: Em 2020, o mercado deverá perder mais de 6.000 operadores de refinarias e de extração de petróleo, o que representa uma queda de 14% no total de empregados, podendo diminuir ainda mais ao longo dos anos mais à frente.

10 - Frentista: Os frentistas futuramente serão substituídos por máquinas inteligentes que poderão calcular a quantidade de combustível consumido pelo motorista, além de ser possível realizar os pagamentos por essas máquinas, um processo que se assemelha ao que houve com os caixas de banco.

Siga a página Vagas
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!