Quem tem medo exagerado de altura sabe do pânico de chegar perto de uma janela de um edifício muito alto. A sensação é de estar à beira de um abismo. Com terapias, a psicologia tem maneiras de reverter esse quadro e possibilita alívio aos fóbicos de todos os tipos. E agora existem experimentos que comprovam que a realidade virtual é um novo aliado nessa e em outras áreas da psicologia.

Acrofobia pode ser curada com óculos 360°

Em artigo publicado na revista especializada "The lancet psychiatry", pesquisadores da Universidade de Oxford relatam experimento indicando que 69% das pessoas submetidas a um vídeo 360° deixaram de se encaixar no diagnóstico de acrofobia.

O vídeo apresenta, através de um narrador, um passeio num edifício de dez andares. Ali, o paciente é convidado a diversos testes e desafios, como se aproximar de janelas e retirar um gato de cima de uma árvore. O locutor, como se fosse um terapeuta virtual, orienta e incentiva, indicando o que aprender e como enfrentar as situações na vida real.

O pesquisador Daniel Freeman, professor à frente do projeto, comenta que é grande a expectativa de que a realidade virtual possa ser aplicada em outras terapias. Os depoimentos dos pacientes demonstram que, após passar a vida toda com o medo de altura, reagem muito bem ao tratamento e estão dispostos a continuar e confiantes na cura total.

No site da "Oxford VR", "spin-out" da Universidade de Oxford, é possível conhecer a opinião de alguns deles e outros detalhes do projeto.

Realidade virtual ainda é polêmica em tratar fobias sem o apoio de um terapeuta

Será que a realidade virtual pode tratar um paciente sem o apoio de um terapeuta? Essa questão está em aberto ainda. Freeman está confiante que esse processo poderá atingir milhões de pessoas.

Warren Mansell,da Universidade de Manchester, que não se envolveu com o projeto, tem sérias dúvidas de que doenças mentais severas sejam curadas sem ajuda de um profissional habilitado, porém acha que o advento de novas pesquisas vai transformar o tratamento da psicose, por exemplo.

Mas a iniciativa não é a única. Desde 2012, o " Hôpital de la Conception", em Marseille, está utilizando a realidade virtual para que fumantes larguem o vício, além de tratar do medo de altura, de claustrofobia, stress pós-traumático e até depressão.

O objetivo é diminuir ou até mesmo suprimir o uso de antidepressivos. Mesmo que as pesquisas não estejam exatamente em sintonia, a realidade virtual já chegou a essa área com enormes possibilidades. E estamos apenas no começo.

Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Tecnologia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!