O filme "A Entrevista" continua dando o que falar. A comédia estrelada por James Franco e Seth Rogen que fala sobre uma tentativa de assassinato do líder norte-coreano Kim Jong-un, já desencadeou os ataques de hackers que divulgaram diversos e-mails e informações constrangedoras da mais alta cúpula da Sony. Agora, hackers ameaçaram ataques terroristas nas salas que exibissem o filme, fazendo com que a Sony cancelasse sua estreia, antes prevista para 25 de dezembro.

A ameaça dos hackers afirmava que todos deveriam ficar longe dos cinemas que exibissem o filme. Além disso, avisavam que quem morasse perto dos cinemas também deveria sair de casa.

Também relembraram os ataques do dia 11 de setembro de 2001, que aconteceu nos Estados Unidos e derrubou as torres gêmeas.

Quando a ameaça foi divulgada, os executivos da Sony divulgaram um comunicado informando que os distribuidores iriam exibir o filme normalmente. Ao mesmo tempo, informaram que não se colocariam contra uma possível decisão de uma ou mais salas decidirem cancelar a estreia e exibição do longa-metragem.

A pré-estreia do filme seria exibida em Nova York, no Lower East Side, amanhã (18), mas o porta-voz do local cancelou a exibição sem explicar nenhum possível motivo. Além dele, outras salas de #Cinema do país também cancelaram a estreia do filme. O representante do Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos afirmou que não há nada de concreto que garanta uma ameaça real durante a exibição dos filmes.

Os melhores vídeos do dia

Mesmo assim, o caminho natural da maioria das salas de cinema está sendo não se arriscar e cancelar a exibição do filme. E, apesar do Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos garantir que não há nada concreto para temer, as polícias do país - em especial de Nova York e Los Angeles - já afirmaram que as ameaças estão sendo levadas com seriedade.

O filme "A Entrevista" conta a história de dois jornalistas (James Franco e Seth Rogen) quando são chamados pela CIA para matar o líder Kim Jong-un, da Coreia do Norte. Apesar de ainda não haver nenhuma confirmação, os investigadores dos Estados Unidos acreditam que a série de ataques e ameaças tenham alguma ligação com o governo da Coreia do Norte. #Entretenimento