'Forte conteúdo erótico e com muitos apelos sexuais', em músicas e coreografias feita por crianças e adolescentes do mundo do funk, motivaram o Ministério Público a instaurar inquérito para averiguação dos fatos.

MC Melody, cantora de funk é uma criança de apenas oito anos de idade, mas seus vídeos no YouTube têm milhões de visualizações. A garotinha está na mira do Ministério Público que trata o caso como suspeita de "violação ao direito e a dignidade de crianças e adolescentes".

A investigação ficou à cargo da Promotoria de Justiça de Defesa dos Interesses Difusos e Coletivos da Infância e da Juventude da capital de São Paulo.

Conforme nota publicada no inquérito, a pequena funkeira "canta músicas com palavras que ferem o pudor, com grande apelo sexual fazendo poses muito sensuais, que não condizem com o Comportamento de uma criança". Tudo fica por conta do pai dela que também é do mundo do funk e a dirige em carreira solo.

Outros pequenos ligadas ao mesmo gênero de música também estão sendo investigados: Mc Princesa e Plebéia, Mc 2K, Mc Bin Laden, Mc Brinquedo e Pikachu.

A promotoria tenta alertar as famílias para o dano que esse tipo de exposição pode causar às crianças/adolescentes, tanto as que se mostram quanto as que assistem.

PETIÇÃO - Inquérito Nr. 103/2015

Para ser aberto esse inquérito muitas denuncias chegaram às mãos do Promotor Eduardo Dias de Souza Ferreira, oriundas do Ministério Público e cidadãos que se sentem incomodados ao ver várias crianças do funk tão expostas.

A polêmica que vem causando Mc Melody foi o assunto mais abordado essa semana na internet (mais de 50 mil acessos), isso teve como conseqüência uma Petição no site Avaz que solicita "Intervenção e investigação de Tutela" ao Conselho Tutelar.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Relacionamento Televisão

A funkeira mirim teve seu perfil no Facebook retirado do ar depois que internautas revoltados mandaram um abaixo assinado denunciando cenas de "exposição sexual", onde a menina se mostra em danças e fotos sensuais. Em apenas quatro dias foram mais de 25 mil assinaturas.

Tentou-se ouvir o pai da cantora, Mc Belinho, sem no entanto ter-se obtido sucesso. Em entrevistas passadas ele declarou que isso é perseguição ao funk e que sua filha faz porque gosta e não a obriga a nada: "Ela canta e dança desse jeito porque gosta, mas se ofendeu tanto a sociedade estaremos mudando nossa postura", diz Mc Belinho.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo