Diante da recusa de uma das mais novas e ricas aposentadas do mundo da moda, a Globo não desistiu de agregar a fama internacional de Gisele Bündchen para ajudar a alavancar sua audiência que anda em baixa. O primeiro convite aconteceu pouco antes do evento de despedida das passarelas. A emissora aproveitou a vinda dela ao São Paulo Fashion Week para oferecer um papel na próxima novela das sete I love Paraisópolis, que substitui Sete Vidas.

A inclusão no elenco ia "cair como uma luva" para a Rede Globo. Isso porque iria aproveitar toda a repercussão da aposentadoria das passarelas para atrair atenção para a trama de Rosane Svartman e Paulo Halmainda que, justamente, aborda o mundo fashion protagonizado por Marina Ruy Barbosa.

A modelo, que estava encerrando a carreira de 20 anos de passarela, recusou a proposta de imediato, mas não fechou as portas para uma nova oportunidade. A justificativa de abandonar no auge as passarela é a de poder se dedicar mais ao marido, o jogador de futebol americano Tom Brady e os dois filhos, Benjamin e Vivian, com quem vive em Boston, nos Estados Unidos. No mínimo seria incoerente agora emendar com o pesado cronograma de gravação no Rio de Janeiro, principalmente por estar entrando num trabalho já iniciado há dois meses.

Mas a Globo não desistiu de ter a maior top Brasileira pelo menos numa participação especial no novo folhetim das sete, assim como garantir uma atuação mais efetiva em suas próximas produções. É que além da popularidade no Brasil, a emissora vê como um bom negócio para aumentar as exportações diante da visibilidade da modelo no mundo.

Os melhores vídeos do dia

Gisele não seria estreante na arte dramática. Ela conseguiu conciliar com a lotada agenda de modelo dois longas no exterior: Taxi, em 2004, que contou com participações luxuosas de Jimmy Fallon e Queen Latifah. Teve ainda uma participação especial em O diabo veste Prada, estrelado por Mery Streep, que retratava justamente os bastidores da indústria da Moda.

A prova de que a despedida foi somente das passarelas mas não dos holofotes é que ela acaba de renovar contrato para estrelar as campanhas publicitárias da Colcci por mais um ano no valor de US$ 1 milhão para a produção de duas campanhas da grife.

O acordo foi amarrado na própria cerimônia de despedida em que foi homenageada por colegas de profissão na passarela do SPFW e depois estendida em uma festa. Eventos que emocionaram a modelo.

"Sou muito grata por ter tido a oportunidade, aos 14 anos, de iniciar esta jornada. Hoje, após 20 anos nesta carreira, é um privilégio estar fazendo meu último desfile por escolha própria e ainda continuar trabalhando em outras facetas da indústria", declarou emocionada a modelo.

Histórico 

Como é de praxe nesta profissão, Gisele começou cedo. Aos 14 anos já dava os primeiros passos nas passarelas, mas precisamente em agosto de 1994 quando venceu a final concurso Elite Model Look. Gisele foi eleita umas das 100 mulheres mais poderosas do mundo pela revista Forbes, em 2013, sendo a modelo mais bem paga do mundo pelo sétimo ano consecutivo após acumular 42 milhões de dólares em 12 meses. Mostrou também uma veia para os negócios: em 2011, criou sua própria marca de lingerie, Gisele Bündchen Intimates.

A vida pessoal de Gisele sempre foi destaque das revistas de celebridade que a descobriu em 2000 quando começou a namorar o ator norte-americano Leonardo DiCaprio. Em 2009, se casou com o jogador de futebol americano Tom Brady.