Poucos, ou quase nenhum grupo de rock, mantém todos os seus integrantes durante sua duração. Desde que foi fundada no final dos anos 60, a banda britânica de rock progressivo Yes não fugiu a essa exceção, até a data de hoje, dia em que faleceu seu único baixista e fundador, Chris Squire, de leucemia, em Phoenix, no Arizona, Estados Unidos. O músico estava se tratando da doença, mas perdeu a batalha neste domingo.

Junto com o vocalista John Anderson, Squire, que em português significa "escudeiro", formou o YES, tendo sido os primeiros integrantes de uma banda que já constava como um projeto de vida dos jovens músicos em 1968. Recrutaram o guitarrista Peter Banks, o tecladista Tony Kaye e o excelente baterista Bill Bruford.

Seu primeiro álbum ainda não teria o rótulo de "rock progressivo", nem mesmo o segundo, "Time and a Word".

O Yes estava dentro do estilo considerado psicodélico, com alguns elementos de folk. A voz característica de Anderson já marcava o estilo inconfundível do Yes, sem contar o talento da "cozinha" da banda, ou seja, a dupla baixo e bateria: Squire e Bruford, que em vez de ser a "cozinha", formavam uma verdadeira sala de estar vip, pelo enorme talento dos dois instrumentistas.

Ao gravarem seu quarto álbum, "Fragile", considerado a obra-prima do grupo de Anderson e Squire, os principais compositores, faziam a transição do psicodélico para o progressivo, assim como seus grupos-colegas Pink Floyd, Emerson, Lake & Palmer, King Crimson e Jethro Tull.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Curiosidades

Estava consolidado o estilo do Yes no álbum, do qual participaria um verdadeiro "dream team" de músicos. Além de já contarem com os excepcionais Anderson, Squire e Bruford, já tinham o habilidoso e criativo Steve Howe, guitarrista desde o terceiro disco (Yes Album) e o tecladista Rick Wakeman, considerado um dos melhores de todos os tempos. Em "Fragile", cada músico teve direito a uma faixa-solo, sendo que a de Squire fora "The Fish", com um lindo trabalho instrumental do baixista.

A formação clássica, e considerada a melhor da carreira da banda, ainda produziu o ótimo álbum "Close to the Edge", de 1972, quando se dá a saída de Bill Bruford logo após a turnê. Até o disco "Drama", de 1980, que marca a saída de John Anderson, o Yes passa por várias formações, mas sempre com Chris Squire no baixo, que jamais pensara em deixar a banda. Mas precisou dar uma parada, embora entre 1980 e 1983, Squire e o baterista Alan White continuavam a trabalhar juntos.

Esse trabalho resultou na reformulação do Yes e na gravação do muitíssimo bem sucedido álbum 90125, com a volta de Anderson e Tony Kaye, e a incorporação do guitarrista Trevor Rabin. Foi com essa formação que o Yes tocou na primeira versão do Rock In Rio, em 1985, fazendo uma das melhores apresentações no festival, mostrando ao mundo seu rock progressivo moderno e empolgante.

Na década de 2000, os membros do grupo se reuniam esporadicamente, sem compromissos com gravações e shows, inclusive em 2004 Squire se uniu a uma versão reformulada do The Syn, sua banda antes de criar o Yes.

Christopher Russell Edward Squire, nascido em Londres, no dia 4 de março de 1948, é considerado um dos baixistas mais influenciáveis do rock, inclusive pelo baixista Steve Harris, do grupo de heavy metal Iron Maiden.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo