Anúncio
Anúncio

O apresentador Jô Soares deve mesmo perder o seu programa diário na Rede Globo de Televisão. A partir de 2016, o comunicador deve revezar o 'Programa do Jô' com Marcelo Adnet. A informação foi confirmada nesta segunda-feira, 05, pelo site 'Notícias da TV'. Essa será a primeira vez desde 1988 que a atração do humorista deixará de ser diária. Na década de 80, ainda com o 'Jô Soares Onze e Meia', o escritor fez muito sucesso na emissora de Silvio Santos, o SBT. E lá se vão quase trinta anos de muitas entrevistas e convidados especiais.

Marcelo Adnet já gravou alguns pilotos na emissora.

Jô Soares deve agora comandar seus programas às segundas, quartas e sextas-feiras, enquanto Marcelo Adnet ficará no ar nas terças e quintas-feiras.

Advertisement

A inserção de Adnet serve também para a Globo testar como fica a concorrência com Danilo Gentilli. Um apresentador mais jovem tende a atrair o público do 'The Noite', que costumeiramente atinge a liderança nas madrugadas. 

Em nota enviada ao 'Notícias da TV', a TV Globo nega que Jô Soares deixará de ser diário após dezesseis anos no ar. O projeto de Marcelo Adnet também não teria sido aprovado pela emissora. Os dois programas-testes, no entanto, foram muito bem avaliados e tudo indica que ele realmente deve fazer parte da grade da rede de TV. 

Existiria também uma preocupação no canal com a saúde do apresentador. Em 2014, ele chegou a ficar afastado por mais de um mês do ar por conta de uma forte pneumonia. Jô Soares tem 77 anos de idade. O vigor de Jô não é o mesmo de quando ele estreou seus programas de entrevista ainda antes dos 50 anos de idade.

Advertisement
Os melhores vídeos do dia

Neste ano, por conta da crise econômica que passa o país, o programa do comunicador perdeu dois integrantes do então 'sexteto'. Além disso, Soares perdeu tempo de sua atração no ar. Cerca de um terço do produto simplesmente deixou de ser exibido. A TV Globo também pediu que o espaço para a política diminuísse no 'Programa do Jô', sendo assim, o quadro com mulheres que comentam política de semanal passou a ser quinzenal.