Anúncio
Anúncio

No século XVI, o dramaturgo William Shakespeare escreveu a tragédia de Romeu e Julieta. Nestes mais de 400 anos que se passaram, a história foi adaptada de todas as formas possíveis e imagináveis, se tornando uma das maiores - se não a maior - tragédia da história da literatura. Todo tipo de versão já foi desenvolvida e a trama já foi tão explorada que é possível dizer que o público já estaria exausto de tanta repetição. Ou não.

Nesta febre de revivals e adaptações para a Televisão que está assolando a programação americana, o clássico 'Romeu e Julieta' não poderia ficar de fora.

Se alguma vez na vida você se perguntou o que teria acontecido com as grandes famílias Montéquio e Capuleto depois da morte de seus herdeiros, a oportunidade é essa.

Shondaland, a produtora responsável por todas as criações de Shonda Rhimes, está em fase de desenvolvimento de uma nova série chamada 'Still Star-Crossed', baseada no livro homônimo lançado em 2013 por Melissa Taub.

Advertisement

Explorando mais uma vez a trágica história de Romeu e Julieta, o livro explora o que acontece com as famílias após o suicídio dos dois adolescentes, focando em Benvolio, melhor amigo de Romeu, e Rosalinda, prima de Julieta.

Ainda não foram divulgados detalhes do roteiro, uma vez que a produção ainda está na fase inicial, os direitos do livro tendo sido vendidos para o canal ABC, responsável pelos grandes sucessos da Shondaland, que incluem Grey's Anatomy, Private Practice, Scandal e How to Get Away With Murder. Conhecida por inserir grandes níveis de tragédias em seus roteiros, Shonda Rhimes parece ser uma boa aposta para reviver - mais uma vez - a história destes dois amantes.

Ao lado de Shonda, estão ainda Heather Mitchell, colaboradora da autora em ambos Grey's Anatomy e Scandal, e a produtora Betsy Beers, vencedora do Globo de Ouro em 2007 por seu trabalho em Grey's.

Advertisement
Os melhores vídeos do dia

Entre as adaptações mais notáveis do clássico para as telas, estão a produção de 1936 de Gerge cukor, indicada a múltiplos Oscars, a versão de 1968 dirigida por Franco Zeffirelli e, mais recentemente, a versão de 1996 com Claire Danes e Leonardo DiCaprio, dirigida por Baz Luhrman com referências à cultura pop em uma linguagem inspirada pela MTV.