A Justiça não está gostando nada do chamado merchandising infantil, muito frequente nas novelas do SBT. Atualmente, a emissora exibe 'Cúmplices de um Resgate', protagonizada por Larissa Manoela. A 5ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo condenou a empresa televisiva de Silvio Santos a pagar R$ 700 mil. O dinheiro é para pagar o que a justiça chama de danos morais coletivos. Mas não foi uma publicidade feita em 'Carrossel' que gerou a briga na justiça, mas sim de 'Carrossel', que foi ao ar originalmente em 2012. A empresa poderá recorrer da decisão judicial. 

Quem moveu a ação foi o Procon de São Paulo. O órgão que luta pelos direitos dos cidadãos diz que 'Carrossel' promoveu publicidade indireta.

Esse tipo de propaganda, quando voltada para crianças, é considerada ilegal, já que faz uma fusão dos personagens os inserindo em situação que o identificam com produtos. Os comerciais teriam acontecido dentro de 'Carrossel' entre os meses de maio e agosto de 2012. 

A sentença dada no dia 1º desse mês foi assinada pelo juiz Luis Felipe Bedendi. No texto escrito pelo magistrado que dá à condenação ao SBT, o profissional jurídico coloca que a emissora se valeu das crianças serem ingênuas e imaturas, aproveitando esse fato para conseguir um favorecimento econômico. A empresa de Silvio Santos disse à Folha de São Paulo em reportagem publicada nesta segunda-feira, 07, que vai recorrer da decisão. 

Desde 2013, o Conselho de Autorregulamentação Publicitária, o Conar, criou novas regras para os anúncios feitos para crianças até 12 anos.

Os melhores vídeos do dia

Programas infantis, por exemplo, não podem conter nenhum tipo de publicidade em seu conteúdo. O processo ocorreu antes do novo parecer do Conar, ou seja, em uma época que teoricamente a publicidade ainda era permitido nesses produtos. 

O SBT já havia recebido uma multa de R$ 1 milhão em 2011. O motivo da decisão dessa vez foi o fato de apresentadores anunciarem os nomes das marcas ao invés dos nomes dos produtos em gincanas voltadas para o público infantil.