Monica Iozzi continua gerando polêmica nas redes sociais ao comentar sobre Política e apesar das críticas ela não se intimida e está sempre postando algo em relação ao atual cenário em que se encontra o Brasil, mergulhado na crise e em constantes escândalos.

Na noite desta sexta-feira (25), a ex-CQC postou uma mensagem em sua conta no Twitter dizendo que o PMDB é o câncer político do Brasil e logo surgiram diversos comentários e como sempre acontece quando o assunto é "política", as opiniões se divergiam bastante.

Iozzi publicou a mensagem se referindo a um novo escândalo, a respeito de uma mensagem onde Eduardo Cunha cita o repasse de R$ 5 milhões a Michel Temer, vice presidente da República que irá assumir a presidência no Brasil no caso de Dilma Rousseff ter de deixar o cargo por causa de um impeachment.

Rodrigo Janot, procurador geral da República, conseguiu reunir uma série de indícios provando que Michel Temer, do PMDB, recebeu R$ 5 milhões da OAS, vindo das mãos do dono da empresa, José Adelmário Pinheiro que foi condenado nas investigações da Petrobras.

A notícia de que Michel Temer teria recebido este pagamento encontra-se em uma das manifestações de Teori Zavasck, ministro do Supremo Tribunal Federal. Em troca de mensagens entre Eduardo Cunha, do PMDB e Léo Pinheiro, o deputado que é líder da Câmara reclama que o empresário chegou a fazer o pagamento a Temer, porém não fez o repasse a vários outros líderes de seu partido.

A reprodução que consta no documento assinado pelo ministro do STF, Teori Zavascki, diz o seguinte: "Eduardo Cunha cobrou Leo Pinheiro por ter pago, de uma vez, para Michel Temer a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a turma".

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Corrupção Michel Temer

As mensagens foram trocadas através do aplicativo "WhatsApp" e o empreiteiro fez questão de pedir a Eduardo Cunha que tomasse mais cuidado com a análise, evitando assim que os "amigos" vissem a quantidade de pagamentos.

O celular do dono da OAS foi apreendido em 2014 e todas estas conversas ainda estavam armazenadas no aplicativo. Michel Temer se defendeu apresentando doações que a OAS fez ao PMDB e que todas elas teriam sido declaradas à Justiça Eleitoral e que o valor era de R$ 5,2 milhões, entretanto, as trocas de mensagens entre o presidente da câmara e o dono da OAS, deixa claro que os R$ 5 milhões foram repassadas em uma única vez.

Esta não é a primeira vez que Monica Iozzi critica o PMDB e pelo visto, não será a última.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo