Para o autor George R. R. Martin, as mortes impactantes devem fazer parte de qualquer história de respeito. A saga que originou a série da HBO "Game of Thrones", "As Crônicas de Gelo e fogo" assassinou inúmeros heróis adorados pelo público. O autor considera uma farsa narrativas onde apenas os personagens “coadjuvantes” são eliminados.

Em entrevista concedida a "Galaxy's Edge", revista de ficção, George usou um antigo bordão retirado de seus livros "todos os homens devem morrer", argumentou.

Segundo ele, falecer é algo comum em qualquer guerra.

De acordo com Martin, "Todos já vimos uma trama assim milhares de vezes: um grupo de heróis embarca em uma aventura e o protagonista, seu melhor amigo e a garota vivem loucuras de dar arrepios. Por fim, nenhum deles morre. Os únicos que desaparecem são os coadjuvantes. Isto é uma farsa completa. Não é assim que funciona. As pessoas, quando vão a uma batalha, perdem colegas, entes queridos e ficam machucados.

Perdem um membro ou se deparam com a morte de maneira imprevista".

Se um autor pretende ser autêntico, ele deve encarar este fato de frente. Especialmente se quer falar sobre guerras.

"Assimilando a morte, você precisa ser autêntico e saber que pode eliminar qualquer um a qualquer instante. Ninguém vive eternamente só porque é bonito, o melhor amigo do personagem principal ou o super-homem da trama.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Televisão Seriados

Às vezes, o herói também falece. Ao menos nos meus livros é assim. Amo meus personagens, e toda vez é dificílimo derrubá-los. Mas deve ser feito", reafirmou.

A recente edição da revista virtual "Galaxy's Edge" também traz um conto de ficção científica intitulado "Fast friends", cujo autor também é Martin.

George revelou a Ward sobre a época em que publicava contos em revistas. Inclusive, chegou a pagar para ter uma história publicada na 'Galaxy Magazine', em 1971.

E durante toda a década, ele seguiu escrevendo publicações nestes moldes até terminar seu primeiro romance, no ano de 1977.

Ainda que seja um escritor bem sucedido, Martin advertiu os jovens autores a nunca entrarem na profissão com intuito de ganhar fama e dinheiro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo