A atriz Íris Bruzzi, de 81 anos, hoje residindo nos Estados Unidos, foi contratada pela Rede Record no ano de 2006. De lá pra cá participou de seis novelas, sendo “Chamas da Vida” a de maior sucesso. Só que, em 2014, ela foi humilhantemente demitida, pois a emissora não a reconheceu como funcionária. Segundo Íris, a Record obrigou-a a abrir uma empresa a fim de ser contratada pela Rede e, dessa forma, fraudar as leis trabalhistas.

A atriz ganhou o processo em primeira instância, mas a Record havia entrado com recurso. No entanto, no final do mês de outubro, deste ano, a sentença foi decretada em segunda instância e a Record foi condenada a reconhecer Íris como ex-funcionária, anotar registros em sua carteira de trabalho, além de pagar o 13º salário e férias, totalizando a indenização presumida em 1,5 milhão de reais.

De acordo com Artur Elias Guimarães, o advogado de Íris, a Record ainda poderá entrar novamente com recurso, mas as possibilidades de sucesso são mínimas.

A atriz teve o apoio dos atores Cecil Thiré e Taumaturgo Ferreira que testemunharam na audiência em seu favor. Thiré também havia processado a Record e teve seus direitos trabalhistas garantidos.

Mágoas da Record

Em entrevista à Antonia Fontinelle, no seu canal do YouTube 'Na Lata', Íris confessou estar ressentida com a emissora. Disse que se sentiu muito humilhada, sendo comunicada de sua demissão por telefone.

Segundo a atriz, ela recebeu um telefonema de seu diretor de elenco, Fernando Rancoleta, onde o mesmo a convidou para tomar um café, pois seria anunciada de sua demissão. Íris, recusou o convite afirmando que, só toma café com pessoas amigas e, a partir daquele momento, a Rede Record seria sua inimiga.

Os melhores vídeos do dia

Íris ainda disse que, na época, precisava pagar contas e, para isso, se viu obrigada a vender seus pertences. Além de tudo, segundo ela, a Record leva seus atores ao esquecimento do público.

À espera de sua indenização, a atriz brinca na entrevista com Antonia Fontinelle, dizendo que, o "dinheirinho" a receber seria muito bom.

Além de Íris Bruzzi e Cecil Thiré, outros atores também moveram ação judicial contra a Rede Record, como Leonardo Brício, Paloma Duarte, Bruno Ferrari, André Segatti e Raquel Nunes. A emissora, por sua vez, ainda não se pronunciou sobre nenhum desses casos.