A Marvel Studios soma mais um acerto ao seu quase impecável currículo com 'Doutor Estranho', que faz parte de uma audaciosa aposta de inserção de novos heróis em seu universo cinematográfico, como: 'Homem-Formiga' e 'Pantera Negra'.

O estúdio buscou um caminho mais sério para trazer para as telonas o tão esperado 'plano astral', sendo o segundo de sete níveis de existência. Um elemento completamente inovador para os filmes de super-heróis, contudo, para quem é fã de HQ sabe que a projeção Astral sempre fez parte da história do personagem.

A difícil tarefa de desenvolver o show de efeitos visuais que o filme proporciona, fcou a cargo do diretor Scott Derrickson ('O Exorcismo de Emily Rose'), e que por sinal desempenhou muito bem seu papel apostando nas imagens caleidoscópicas, frenéticas, e alucinantes.

A responsabilidade foi dividida com a fotograia de Ben Davis que conseguiu orquestrar tão bem as sequências que deixou 'A Origem' para trás.

O enredo do longa acompanha um arrogante neurocirurgião Dr. Stephen Strange, que é mundialmente conhecido por seu trabalho impecável. Ele enfrenta uma reviravolta em sua vida quando sofre um acidente automobilístico e lesiona gravemente os nervos das mãos, impedindo-o de exercer sua profissão. Desesperado por uma cura, quando a medicina não é capaz de fazê-lo, Strange viaja em busca de um local improvável que, aparentemente, pode ajudá-lo, Kamar-Taj.

Logo ele descobre que não se trata de um centro de cura, mas sim um templo destinado a batalhar contra as forças do mal que ameaçam a realidade que a humanidade conhece. Durante seu treinamento como mago, Strange se vê entre a difícil decisão de retornar à sua antiga vida de prestígio ou proteger o mundo.

Os melhores vídeos do dia

O personagem muito se assemelha ao Tony Stark antes do Homem de Ferro, rico, playboy, inteligente, porém, a fórmula Marvel se mostrou novamente bem sucedida. O roteiro de Jon Spaihts, C. Robert Cargill e Scott Derrickson apresentou o Stephen Strange da melhor maneira possível, de maneira coesa e causando muita empatia com um herói completamente humano.

Não faltaram as piadas que se tornaram marca registrada do Universo Marvel, embora o filme não seja tão cômico quanto Homem-Formiga.

O elenco é outro ponto de acerto e destaque do filme, que traz Benedict Cumberbatch ('Sherlock') como o protagonista, e que abusa do carisma, entregando uma atuação fantástica.

A premiada Tilda Swinton ('O Grande Hotel Budapeste') foi uma escolha inusitada para dar vida ao Ancião, já que nos quadrinhos o personagem é uma figura masculina, mas foi outra escolha acertada para a produção que traz um certo suspense.

O interesse amoroso de Stephen foi entregue a sempre excelente Rachel McAdams ('Meninas Malvadas') que entrega a médica Christine Palmer - em poucas cenas - brilhante e com muita química com Cumberbatch.

Embora o romance dos dois não tenha sido tão aprofundado, é nítido o carinho que ambos sentem um pelo outro. E ela também protagoniza a maioria das cenas que trazem alívio cômico para a trama.

O vilão foi vivido pelo ótimo Mads Mikkelsen ('Rogue One - Uma História Star Wars'), em contrapartida o ator Chiwetel Ejiofor ('Perdido em Marte') não brilha como Barão Mordo.

'Doutor Estranho' é uma jornada sensacional para um mundo totalmente novo, que ganha o público graças ao seu roteiro bem desenvolvido, efeitos alucinantes e elenco estelar. Sendo considerado a melhor introdução de um herói desde 'Homem de Ferro'.

Para a alegria dos fãs, ainda existem duas cenas pós-créditos ótimas.