O BBB estreou em 2002, trazendo o modelo criado pela produtora holandesa Endemol, e faz sucesso até hoje. Com ele, logicamente surgiu a figura do ex-BBB: de modo geral, um tipo de alma penada que vaga eternamente pela periferia da percepção pública tentando realizar vagas aspirações artísticas (melhor dizendo, midiáticas) e encarnando quase perfeitamente a velha frase sobre pessoas que são famosas por serem famosas.

Kléber Bambam

Dá para falar na história do reality global sem mencionar o vencedor da primeira edição do programa, o ex-vendedor de cocos, Kleber Bambam?

O temido pós-casa foi gentil com o campinense, que chegou a tentar emplacar uma carreira na telinha - ele foi dançarino no Planeta Xuxa. Hoje, ele ainda consegue ganhar dinheiro com a fama, lucra com a comercialização de imóveis e ainda encontra tempo para exibir carrões para os seguidores nas redes sociais. Para alguém que granjeou fama de limitado intelectualmente durante sua participação no Big Brother, até que não é bobo este Bambam.

Xaiane

Também participante da primeira edição do programa - teve até um caso com Bambam -, ela já disse em entrevista ao site Ego ter ficado quatro anos na "mordomia" desfrutando da fama conseguida no reality - posou para a revista Sexy, fez campanhas para cosméticos e marcas de lingerie e fez presenças VIP para eventos.

Uma hora, porém, ela percebeu que os convites iam rareando e que teria que procurar outro caminho. Fez curso de Gestão de Negócios e buscou colocação no mercado. A fama, aí, fechou portas em vez de abri-las - disse ter protagonizado uma demissão digna do Guinness Book: durou quatro horas no emprego até descobriram que era uma ex-BBB. Hoje, ela atua no setor de qualidade de uma companhia do setor energético e diz ser aceita pelos empregadores, que sabiam desde o começo quem ela era.

Sabrina Sato

Uma rara ex-BBB de sucesso na carreira artística. A musa nipo-brasileira era modelo e já tinha alguns serviços prestados à Globo antes de ser escolhida para participar do BBB3: havia sido bailarina no Domingão e figurante na trama Porto dos Milagres. Depois de sair do programa, ela virou radialista, participou do Pânico e agora trilha a carreira solo como apresentadora.

Rogério Dragone

Era jardineiro de cemitério, mas depois de deixar a quarta edição do reality show, formou-se em Artes Cênicas e dedica-se à fotografia, tendo produtora própria.

Solange Vega

Verdadeira Torre de Babel em forma de gente e casinho de Dragone no programa, divertiu o Brasil cantando sua versão própria do clássico dos anos 80 "We are the World". Ela era, antes de participar da competição, frentista de posto de gasolina e apareceu recentemente na mídia ao trabalhar como hostess em eventos e por ter raspado o cabelo para participar da série global Supermax.

Grazi Massafera

Sucesso nas novelas e cheia de compromissos publicitários, ela começou como manicure, conseguiu se tornar Miss Paraná - ficou, depois, em terceiro lugar no concurso nacional - e, finalmente, a fama veio após a participação no BBB 5.

Venceu a maldição que parece pesar sobre ex-BBBs e suas aventuras artísticas: sua carreira vai de vento em popa.

Jean Wyllys

O professor universitário nascido na Bahia venceu a quinta edição do programa e virou deputado federal pelo PSOL. Protagonizou vários enfrentamentos com deputados mais conservadores, inclusive sua nêmesis na Casa (a Câmara dos Deputados, não a do BBB), Jair Bolsonaro. Está no segundo mandato em Brasília.

Não perca a nossa página no Facebook!