Não há dúvidas que o jornalismo é um importante meio de informação da mídia nacional. Atualmente, programas jornalísticos são líderes em audiência ao falar sobre os principais acontecimentos do Brasil e do mundo. Porém, em algumas matérias opinativas, alguns jornalistas chocam os telespectadores ao expressar uma opinião pessoal algum fato.

Foi o que acorreu com o jornalista Paulo Henrique Amorim. Atualmente trabalhando na rede Record, o apresentador chocou os fãs ao postar nas redes sociais vídeo opinando sobre a chacina que provocou 12 mortes na cidade de Campinas (SP).

Publicidade
Publicidade

O jornalista acusou a Rede Globo de ser uma das responsáveis pela matança e disse que o atirador era mais uma vítima da sociedade que vivemos.

O polêmico jornalista Paulo Henrique Amorim, novamente, ganhou fama na internet. Indignado com a chacina que vitimou várias pessoas em Campinas, ele decidiu gravar um vídeo falando sua opinião. Porém, ele expressou uma posição inesperada sobre o caso. Ele responsabilizou a Rede Globo de Televisão e também a operação Lava Jato pelo massacre.

Publicidade

Antes mesmo de iniciar a leitura da carta deixada pelo atirador, o jornalista afirmou: “A Globo e a Lava Jato são os terroristas de Campinas”. Em seguida ele fez uma comparação do texto com a Rede Globo e a operação Lava Jato. Ele disse que a carta contem traços do discurso da Globo e dos heróis da operação, que , segundo ele, são responsáveis por propagar o ódio. “O ódio à política, o ódio à Dilma, o ódio às mulheres, o ódio à Lei Maria da Penha, o ódio ao Lewandowski (Ministro do STF), que não julga de acordo com o ódio” detalhou o jornalista.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Televisão

Ainda não satisfeito com as acusações contra a emissora e a operação responsável por prender políticos corruptos, o jornalista chocou os internautas ao minimizar o acontecimento e defender o atirador. Ele disse que o atirador não pode ser chamado de louco. Segundo o jornalista, ele era um produto da época, um produto da sociedade que vivemos. O âncora da Record, no final do vídeo, reafirma sua acusações e diz que “a Globo e a Lava Jato são os nossos terroristas do fim do ano”.

Assista ao vídeo:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo