Os clientes da SKY Brasil, a segunda maior operadora de Televisão do país, foram pegos de surpresa com um comunicado emitido pela própria operadora, no serviço de mensagens dos receptores. Trata-se da possível saída dos canais da programadora FOX, uma das mais respeitadas e importantes da TV paga no mundo.

Trata-se da renegociação de contratos envolvendo a FOX INTERNATIONAL CHANNELS LLC, empresa americana que distribui os canais do conglomerado para os países, e a SKY, conhecida por ser uma empresa difícil de aceitar regras.

De um lado a FOX quer que a SKY integre ao seu line-up (lista de canais) os canais Fox Premium, que podem ser adquiridos pelos assinantes assim como a HBO e a Rede Telecine, por exemplo. Esses canais são FOX 1 e FOX Action, que entre outras produções exclusivas, trazem conteúdo (principalmente séries) transmitidos simultaneamente com o público dos Estados Unidos. O pacote deve custar em torno de R$ 22,90.

Do outro lado, a SKY briga para não incluir os canais ou para oferecê-los de forma mais econômica aos assinantes, já que muitos já sinalizaram que acham injusto pagar à mais pelo conteúdo (em sua maioria legendado).

À título de comparação, pelo valor que pagariam pela assinatura do serviço premium da FOX, os assinantes poderiam adquirir os 5 canais TELECINE, por cerca de R$ 30,00 e os 10 canais HBO pelo mesmo preço.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades Televisão

A SKY também alega indisponibilidade técnica para oferecer mais canais e, por conta disso, já se meteu em brigas pesadas com órgão e emissoras de televisão por conta disso.

Em 2012, a ANATEL obrigou a entrada de canais abertos com porcentagem relevante de cobertura nacional em todas as operadoras de TV por assinatura. A decisão foi tomada pela Justiça.

Desde a inauguração da Record News, em 2007, a SKY enfrentava uma batalha comercial contra o Grupo Record para inclusão do canal de notícias na lista de canais da operadora.

A disputa teve até direito a matérias jornalísticas afirmando que a recusa em transmitir os canais se devia ao fato de a SKY, na época, ter participação societária da Globo.

Em 2008, o Grupo Abril, na época controlador da MTV Brasil, entrou na lista negra da SKY. Após divergências, a operadora cessou a transmissão do canal obrigando a emissora a abrir seu sinal nas parabólicas. Após a devolução da marca MTV à Viacom, em 2013, a SKY voltou a transmitir o canal.

A TV Gazeta de São Paulo tenta desde 2010 a entrada de seu canal na programação da SKY BRASIL. As negociações com a Fundação Cásper Líbero, proprietária da emissora, nunca avançaram por condições da SKY.

Recentemente, a SKY moveu céus e terra para impedir a formação de uma Joint Venture entre a RecordTV, o SBT e a RedeTV! para a criação de uma programadora que cobrasse pelos sinais digitais dessas emissoras.

Mesmo com recursos e mais recursos junto ao CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), o órgão aprovou a formação da empresa com a condição de não cobrarem pelo sinal oferecido à pequenas operadoras, o que para a SKY não valeu de nada.

Caso não chegue a um acordo com a FOX, a SKY deverá retirar até o dia 3 de fevereiro todos os canais da FOX de sua programação, que incluem Fox Sports, Fox Sports 2, FX, National Geographic, NATGEO WILD e Fox Life.

A ameça deve ser levada em consideração. Em 11 de fevereiro de 2016, a OI TV se recusou a aderir à proposta da FOX e deixou de transmitir seus sinais. Após pressão dos clientes, as empresas chegaram a um acordo e a Oi TV retomou a transmissão dos canais.

A Nossa TV, pertencente ao religioso R.R Soares deixou de transmitir os canais, recusando a proposta da FOX. A operadora levou em consideração o conteúdo que passaria a transmitir, classificando como inadequado ao seu público, em sua maioria evangélicos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo