Após ajudar no resgate das vítimas do acidente com o avião da Chapecoense, o qual vitimou 71 pessoas, Johan Ramires, o garoto colombiano de 15 anos, ganhou o apelido de "Anjo da Chapecoense", e com ele veio a fama no final de 2016, quando o avião sofreu o acidente às vésperas da final da Copa Sul-americana.

Publicidade
Publicidade

Esta semana foi noticiada a reforma da casa do garoto. Segundo o UOL Esporte, três meses após a tragédia, o garoto foi presenteado com a reforma da sua casa pela fundação ‘Compasion em la Union’. Ainda segundo informações, a casa fica bem próxima do local onde o avião que levava a delegação do time Chapecoense caiu. A reforma teria sido completa, feita aos moldes do quadro ‘Lar doce Lar’, do programa do apresentador Luciano Huck, e além da parte externa, móveis e decoração também foram substituídos e entregues ao jovem e sua família.

Johan Ramires recebeu o título de Anjo da Chape ao auxiliar as equipes de busca que conseguiram resgatar com vida 4 passageiros da aeronave
Johan Ramires recebeu o título de Anjo da Chape ao auxiliar as equipes de busca que conseguiram resgatar com vida 4 passageiros da aeronave

Existe, no entanto, uma divergência entre as fontes dos artigos publicados, pois segundo o ZH Esportes e Diário Catarinense, Johan Ramires ganhou a atual casa novinha em folha, localizada bem pertinho da antiga residência que partilhava com o pai, o senhor Miguel, a mãe e a irmã.

Johan Ramires, emocionado com o reconhecimento pela sua boa ação e colaboração num momento tão delicado e dramático, sensibilizou a todos que estavam presentes com o seu comentário simples e verdadeiro, dizendo que trocaria a sua nova casa pelas vidas das 71 vítimas do acidente.

Publicidade

Quando o avião da Chapecoense caiu, Johan e seu pai Miguel estavam no interior da casa. Após escutarem o estrondo provocado pela colisão da aeronave, eles correram até o local e cooperaram de forma decisiva com o resgate das vítimas após a chegada dos bombeiros. Eles favoreceram as equipas de socorro, informando a precisa localização do avião, pois conheciam bem a região e o caminho mais curto até a aeronave.

Em entrevista com a UOL Esporte, Miguel, o pai do garoto "anjo", muito emocionado, disse que o filho é um herói pelas suas ações.

Johan revelou humildemente que gostaria, se possível, conhecer os sobreviventes, pois era um sonho que gostaria de realizar.

O jovem adolescente colombiano, foi recebido no Brasil um mês depois por Michel Temer e teve a condecoração merecida pelo ato heroico, o "Anjo da Chape".

Leia tudo