Depois de protagonizarem várias cenas polêmicas, de amor, discussões, brigas e brincadeiras, o romance entre Emilly e Marcos, dentro da casa do Big Brother Brasil 17, chegou ao fim. Nessa segunda-feira, 10 de abril, um inquérito foi aberto na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) de Jacarepaguá. A delegada titular, Viviane da Costa, pediu à emissora Rede Globo as imagens referentes às discussões entre o casal.

Publicidade
Publicidade

Emilly passou por exames clínicos para constatar se houve ou não lesão corporal.

Logo ao anoitecer, separadamente, ambos foram chamados ao confessionário. Foi exposto claramente a Emilly todos os seus direitos garantidos pela Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006, conhecida como Lei Maria da Penha. Incluindo o direito de ficar distante de Marcos. Logo após, o brother foi chamado ao confessionário e foi comunicado que, após terem analisado as cenas das discussões entre o casal, por decisão da direção do programa, o médico deveria ser eliminado do reality.

Publicidade

Depois de ser comunicado da eliminação, Marcos não voltou mais para a casa do reality. Ele seguiu para um hotel, onde ficará por enquanto, sem ter contato com ninguém. A família do brother foi avisada. Durante a exibição ao vivo do programa, o apresentador, Tiago Leifert, anunciou a decisão para o público e para as demais participantes do BBB 17: Ieda, Vivian e Emilly. O apresentador explicou que Marcos vinha apresentando um comportamento agressivo há algum tempo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
BBB Big Brother Brasil Televisão

Segundo o apresentador, a família estava preocupada com a gaúcha. Tiago Leifert explicou que o programa é para entretenimento e completou: "Ele já não estava mais conseguindo se divertir", disse o Tiago.

Depois da exibição ao vivo, Emily foi para o quarto preto arrumar as mala de Marcos. Vivian tentou conforta-la: "Infelizmente, quando a gente entra aqui, a gente entra só. É um jogo de convivência e aprendemos a gostar das pessoas.

Independente de qualquer coisa e qualquer briga, a Ieda gosta muito de você. E nós temos as nossas diferenças, mas jamais vamos virar as costas ou deixar alguém sozinho".

Emily não reclamou com a direção do programa, o que mostra que ainda somos criadas num ambiente tão machista que a polícia teve que avisar que ela havia sofrido uma agressão. A participante ainda se sentiu culpada. A emissora, por meio de comunicado, afirmou que repudia toda e qualquer tipo de violência.

Publicidade

Segundo o comunicado, todas as atitudes da emissora evidenciam a afirmação.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo