O brother Marcos se meteu em mais uma polêmica, ao fazer comentários preconceituosos sobre a deficiência física da paratleta Marinalva. Os dois já vinham trocando algumas farpas, principalmente devido à paratleta desaprovar e fazer duras críticas às atitudes da namorada dele, dentro do reality.

Publicidade
Publicidade

A ofensa e preconceito contra a paratleta ocorreram quando o médico estava ensinando a namorada a jogar xadrez. Ele então perguntou a Emilly o nome de uma das peças e ela respondeu que se tratava do "Cavalo manco". Mas ele disse que se tratava de Marinalva, dando a entender que por causa da deficiência ela era semelhante a um cavalo manco do xadrez. A jovem imediatamente o alertou, dizendo para ter cuidado com esse tipo comentário.

Marcos também demonstrou um suposto preconceito quando disse que Marinalva, deixa de usar a prótese, para ficar usando a muleta para que com isso se faça de vítima por conta da sua deficiência e, consiga sensibilizar a todos dentro e fora da casa.

Marcos não para de se meter em polêmica
Marcos não para de se meter em polêmica

Segundo informações da UOL, ativistas ouvidos pela reportagem do portal de notícias garantem que o cirurgião plástico Marcos infringiu a lei brasileira de inclusão e mostrou em rede nacional o preconceito que acontece em relação aos deficientes na sociedade, o que é passível de punição de acordo com a lei vigente.

Disseram que Marcos infringiu a Lei Brasileira de Inclusão que no seu artigo 88 dispõe: “praticar, induzir ou incitar discriminação em razão da deficiência pode trazer pena de um ano a três anos de reclusão e multa.

Publicidade

Se o crime for cometido por meios de comunicação social, a pena de reclusão vai de dois a cinco anos mais a multa”, consta o texto da legislação.

Os entrevistados também ressaltaram que os comentários dele além de deselegantes e preconceituosos são muito graves e podem gerar grande desgaste para a imagem de qualquer pessoa. Sendo que para um médico é mais complexo ainda pois mostra o despreparo de um profissional da saúde, que deveria estar preparado para lidar com a diversidade e inclusão social.

Leia tudo