O jornalista Hermano Henning encerrou o seu contrato com a emissora SBT, depois de 23 anos de parceria. No último dia 31, o contrato venceu e não foi renovado pelo canal comandado por Silvio Santos.

Os rumores sobre a possível dispensa de Hermano já aconteciam há alguns meses. Tudo começou com o fim do Jornal Do SBT, atração que era apresentada pelo profissional.

O jornalista já havia deixado a emissora há uns anos e passou uma temporada em Nova York, como correspondente internacional da Rede Globo.

Mas, em seguida, retornou ao SBT e assumiu a bancada do Jornal que levava o nome da emissora.

Em janeiro deste ano, no entanto, a atração foi encerrada e Henning passou então a comandar o SBT Brasil, que vai ao ar somente aos sábados.

A emissora e o âncora já haviam chegado a um acordo em meados de fevereiro, mas optaram por estender o vínculo empregatício por mais três meses. Agora, no entanto, é oficial que ele não faz mais parte do quadro de funcionários do canal.

SBT não aceitou a proposta do jornalista

Segundo entrevistas concedidas a outros veículos, o jornalista chegou a propor para a emissora que comandasse um programa dominical intitulado Horse Brasil, que falaria sobre cavalos, assunto que Henning adora.

Ele, inclusive, comanda o programa de mesmo nome no Canal Rural.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Televisão

A paixão por equinos é tanta que o jornalista possui um haras na região de Sorocaba, interior de São Paulo, onde cria mais de 90 cavalos das mais variadas raças.

Ele mesmo acompanha o desenvolvimento dos animais e a especialidade do local são as raças Quarto de Milha, Puro Sangue Inglês e Paint Horse. Apesar de toda a paixão e o amplo conhecimento pela espécie, o projeto de levar o programa específico sobre cavalos para a emissora não rendeu negociações.

Hermano Henning cobriu grandes eventos, como as Olimpíadas de Moscou e a morte de Charles Chaplin

A saída de Henning do Jornalismo televisivo deve ser temporária. O jornalista possui uma carreira muito extensa e já esteve nos principais grandes veículos impressos e emissoras de TV.

Nascido em 1945, ele passou pela Revista Veja e pelo jornal O Estado de S. Paulo, antes de se enveredar pela Televisão, quando iniciou a carreira na Rede Globo.

Cobriu, em 1977, o enterro de Charles Chaplin na Suíça, além dos Jogos Olímpicos de Moscou, um dos mais icônicos da história, e a morte de Tom Jobim, entre tantas outras notícias de imensa importância para o Brasil e o mundo.

Ele também foi um dos responsáveis pela criação do escritório do SBT em Washington, nos Estados Unidos, no final da década de 80, que possibilitou à emissora acompanhar de perto grandes acontecimentos internacionais.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo