Considerada por muitos telespectadores como um dos rostos mais conhecidos da TV brasileira e da Rede Globo [VIDEO], a atriz e apresentadora Maitê Proença, de 59 anos, ostenta uma carreira artística invejável em seu currículo e também traz uma história de vida demasiadamente forte, que poucos conhecem.

Procurando manter sua vida pessoal longe dos holofotes, a atriz veterana, que constantemente é convidada para participar e dar o ar da graça em eventos públicos e particulares, compareceu nesta última segunda-feira (21), na oitava edição da Semana da Justiça pela Paz em Casa, que aconteceu no centro da cidade do Rio de Janeiro [VIDEO].

Entrevistada, durante o evento, Maitê, que poucas vezes falou de sua família publicamente, fez um relato surpreendente, que chocou o público e causou comoção entre seus fãs [VIDEO].

Aceitando falar com a equipe de jornalistas do jornal 'São Gonçalo', famoso por sua grande circulação na cidade, bem como nos demais municípios da Baixada Fluminense, Maitê revelou: '´Família realmente é um assunto complicado pra mim e confesso que não gosto de falar muito sobre isso. Quando eu ainda era criança, eu vivia em uma família fora de série, era simplesmente perfeita, ainda criança eu já tocava diversos instrumentos com perfeição, tinha hábito de praticar esportes e desde cedo falava outros idiomas. Minha mãe adora música e tocava lindamente o piano de cauda da nossa casa, que ficava no centro da sala.

Meu pai, como um bom chefe de família, chegava em casa à noite, jantava conosco e em seguida contava uma série de histórias e fábulas da mitologia grega, havia muita mágica naquele lugar'.'

Ainda durante a conversa, Maitê falou sobre a morte da mãe, assassinada brutalmente pelo próprio pai da atriz, em 1970. Relatando sobre a família, Maitê cita a morte da mãe e revela o que aconteceu com o pai.

Segundo Proença, depois do falecimento da mãe, seu pai foi morar em uma chácara no interior e, mais tarde, foi levado para um manicômio. "Uma vez eu cheguei a questioná-lo e perguntei porque ele não atirou em minha mãe e ele virou pra mim e disse que a faca que ele usou pra matá-la era uma extensão do corpo dele'', contou a atriz.

Dando continuidade ao relato da fatídica morte da mãe, Maitê, que lutou na Justiça para inocentar o pai, declarou: ''Eu creio que ele não era um assassino. Meu pai cometeu aquilo durante um surto de loucura. Para mim, a violência contra outra pessoa acontece em uma espécie de escala, não acontece simplesmente em um rompante. Acho que, no fundo, o que faltou pra minha mãe foi cautela, porque ela sempre soube que meu pai era um homem muito rígido''.