Nesta última quarta-feira, 23, a apresentadora do SBT Mara Maravilha, que junto com Mamma Bruschetta, Leão Lobo, Décio Piccinini e Léo Dias, apresenta o programa "Fofocalizando", que vai ao ar todos os dias na faixa da tarde, fez um comentário que foi considerado bastante infeliz pelos telespectadores e militantes das causas LGBT.

Ao comentar sobre os últimos capítulos das novelas, chegou-se em "A força do querer", da TV Globo, que esta exibindo a transformação do personagem Ivan, que antes era Ivana.

Publicidade
Publicidade

Trata-se de um homem trans que está se descobrindo e se aceitando, através do processo de mudança de físico. Esta semana, por exemplo, a personagem cortou os cabelos num estilo masculino, e passou a usar roupas de homem.

Ao exibir as imagens da transformação, Mara Maravilha disparou que Deus havia feito homem e mulher, através de Adão e Eva. E ainda tirou sarro ao dizer que agora era "Adão e Ivo", numa referência a casais gays e trans.

Publicidade

Ela chegou a dizer que a situação devia ser respeitada, mas acabou remendando com outra afirmação infeliz, de que "para procriar", ainda era necessário que se fosse homem com mulher, e vice-versa, reproduzindo um discurso considerado homofóbico, de que, por não haver a possibilidade de procriação biológica entre seres do mesmo gênero, a relação não é bem-vista. Discurso, inclusive, bastante reproduzido pelos religiosos mais tradicionais.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Fofocas

Ontem (24), no entanto, a apresentadora decidiu se retratar durante o programa, depois que recebeu uma enxurrada de críticas nas redes sociais, que a acusaram de trans e homofobia. No "Fofocalizando", Mara disse que chegou a "chorar muito" com as críticas disparadas contra ela. Nesse momento ela começou a chorar ao vivo. E pediu perdão pelos comentários, afirmando que a intenção dela era "ser sincera" com seus sentimentos, concluindo com um "Não sou homofóbica!".

Ela justificou seu posicionamento, também, por sua função ocupada no programa, de comentar notícias. Segundo a apresentadora, ela não sabe "representar", e se disse bastante incomodada com o fato de estar sendo chamada de homofóbica e intolerante. Mamma Bruschetta e Léo Dias, que dividem o programa com Mara, disseram que estavam do lado da apresentadora, e garantiram que ela não era homofóbica. Leo chegou a dizer que a opinião dela deveria sim ser respeitada.

Publicidade

Mara Maravilha é apresentadora desde a década de 80, foi cantora gospel, e se diz evangélica, embora o segmento gospel não veja com bons olhos diversas funções que ela exerce, como por exemplo ter um programa de Fofocas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo