Considerado um dos nomes mais populares no meio católico, bem como entre os brasileiros de diversas religiões e crenças, o padre Fábio de Melo enfrenta, atualmente, um dos momentos mais tristes e delicados de sua vida.

Ele, que recentemente declarou através das redes sociais sofrer de síndrome do pânico, relatou com riqueza de detalhes as crises que tem enfrentado, desde que a doença psicológica, que já havia sido diagnosticada nele há dois anos, voltou de forma ainda mais intensa e devastadora.

Utilizando seu perfil oficial no Instagram, no último dia 11 deste mês, o religioso declarou: ''(...) Permaneci sozinho trancado dentro de casa por uma semana inteira lutando contra uma terrível sensação de morte, revestida de desespero e tristeza profunda. Nunca chorei tanto em minha vida. Tudo isso só começou a passar, depois que instruído pelo grande amigo, doutor Sorrentino, procurei ajuda psiquiátrica e após ser medicado com remédios controlados, já consegui sair de casa e cumprir alguns compromissos.''

Surpreendendo e preocupando milhões de fãs em todo o Brasil, o religioso afirmou, que quando se sentisse melhor e em condições de falar, relataria mais detalhes sobre esse triste período.

Cumprindo a promessa de que relataria como foram os dias de pânico que viveu, o religioso cedeu uma entrevista comovente ao programa 'Fantástico', exibida pela Rede Globo neste último domingo (20).

Durante o bate-papo, comandado por Poliana Abritta, o padre admitiu ter ficado recluso em sua casa, temendo que lhe acontecessem diversas situações ruins. Revelando diversos episódios de pânico, o religioso chegou a afirmar que se pegou inúmeras vezes embaixo da cama, chorando e tremendo de tanto medo.

O padre revelou ainda que em um dos momentos de maior desespero que passou, ele só deseja conversar com sua mãe e se sentir o antigo 'Fabinho', sem a responsabilidade imposta em seus ombros de ser o famoso padre Fábio de Melo.

Chegando a ter durante as crises de pânico, vontade de abdicar de sua vocação sacerdotal por medo de não ser mais o padre que todos conheceram e esperavam que fosse, o religioso confessou ainda sentir 'medo do medo' e se assumiu refém da sensação de pânico, da qual vem tentando se libertar dia após dia enquanto se trata com ajuda dos médicos e da ciência.

Medicado, ele já cumpre sua agenda de shows, aulas e missas e embora tenha apresentado uma visível melhora, ele ainda não sente que virou a terrível página da síndrome do pânico.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo