Considerado por uma legião de brasileiros católicos e até mesmo de outras religiões, como um dos homens mais influentes da atualidade, padre Fábio de Melo vem enfrentando uma das fases mais delicadas de sua vida.

Ele, que sempre se destacou por sua simpatia, bom humor e por falar de Deus de forma angelical a todos que precisam, é uma das personalidades que mais seguidas das redes socais, e conta com quase 6 milhões de fãs no Instagram.

Sempre muito aberto a compartilhar com os internautas parte de sua rotina, bem como vídeos engraçados e mensagens de paz, o religioso surpreendeu seus seguidores na manhã desta última sexta-feira (11), ao relatar o drama que vem enfrentando nos últimos dias.

Dentre as diversas coisas citadas pelo religioso, sentimentos de: medo excessivo, vontade de ficar trancado em casa, fortes sentimentos de morte, angústia profunda, insônia durante a noite e extrema vontade de chorar, foram destacados por ele como sintomas típicos da síndrome do pânico, doença psicológica desenvolvida e diagnosticada no mesmo há cerca de dois anos.

Atualmente, sendo submetido a tratamento psiquiátrico e fazendo uso de medicamento antidepressivos, Fábio de Melo se encontra bem melhor e aos poucos, vem voltando a exercer as diversas atividades de sua rotina social.

Saiba mais sobre a síndrome do pânico

O que é?

É um transtorno psicológico, capaz de causar crises repentinas de medo, angústia e mal-estar. Gerando sentimentos de pavor, a síndrome se caracteriza também por sintomas físicos.

Sintomas físicos

Caracterizada por medos intensos e até mesmo vistos como incontroláveis, os principais sintomas físicos da síndrome são palpitações, dores no peito, formigamento nas mãos e pés, falta de ar, suor, tontura, dor de cabeça e vômito.

Como agir durante as crises?

Segundo informações passadas pelo psiquiatra Diego Tavares, do Hospital das Clínicas de São Paulo, as crises de pânico geralmente duram entre cinco minutos e meia hora.

Trazendo a tona sentimentos assustadores de medo no indivíduo, é importante que pacientes diagnosticados com a síndrome tenha sempre alguém por perto, para lhe acalmar, mantê-lo em um lugar seguro e instruí-lo a respirar fundo e informar que o que sente naquele momento é fruto da crise e que a mesma já irá passar.

Tratamento

A doença por ser desenvolver no subconsciente, deve ser tratada à base de análise com psiquiatras e se necessário, em casos mais complexos, com medicamentos controlados.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo