Muitas mulheres sonham em viver uma grande história de amor, regadas de todo o romantismo e carinho. Na cabeça da maioria das mulheres, o casamento é a realização de todos esses sentimentos. Infelizmente para a britânica Catrina Alexandra Jade Young, de 29 anos, o casamento só durou 20 dias. Tudo começou depois que a polícia apareceu com um mandado de prisão na residência da família.

Mandado de prisão para o marido foi um verdadeiro choque para a moça

Segundo entrevista de Catrina, o casamento estava em perfeita harmonia, até o dia em que a polícia de Ipswich, sudeste do Reino Unido, apareceu na casa da família.

Os oficiais da pacata cidade tinham um mandado de prisão. Ainda atordoada, a moça perguntou qual era a acusação, e ficou ainda mais surpresa quando os oficial disseram que era uma acusação gravíssima: pedofilia. Os polícias disseram que o rapaz já estava sendo investigado há bastante tempo e que ele guardava várias fotos de crianças nuas no celular e no computador.

Catrina Alexandra acabou dormindo todo esse tempo com o inimigo

Não bastasse o susto ao ouvir a revelação sobre o lado sombrio do marido, a moça, que tem 3 filhos de uma relação anterior, foi perguntada se o marido costuma pedir para que ela pose fingindo-se de morta durante as relações sexuais do casal.

Sem entender onde os polícias queriam chegar, a moça rapidamente negou que isso fizesse parte da rotina sexual deles. "Não fazemos nada parecido com isso, e mesmo se ele me pedisse eu negaria veementemente", disse a moça às autoridades. Com a insistência dos policias, Catrina disse que costuma acordar sempre com muitas dores de cabeça e cansada, como se estivesse de ressaca, foi nesse momento que os homens mostraram várias fotos dela, retiradas do celular do marido. Nas fotos, Catrina aparece completamente nua e com vendas nos olhos, completamente esticada na cama, como se estivesse morta.

O marido dopava a esposa à noite para estuprá-la e guardava as fotos no celular e no computador pessoal

Com uma rápida averiguação na casa do casal, a polícia encontrou diversos remédios de dormir que eram usados pelo rapaz para dopar Catrina. Não bastasse descobrir que o marido usava fotos de crianças nuas, ele ainda a estuprava. Os próprios polícias mostraram diversas fotos da moça retiradas do celular e do computador pessoal do rapaz.

Mesmo durante o julgamento, Catrina dizia não acreditar que estava apaixonada por um monstro. 'Ele me enganou, me violentou, me drogou e poderia ter feito mal a meus filhos, que moravam conosco".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo