Considerada por uma verdadeira legião de telespectadores como um dos mais importantes nomes da televisão brasileira da atualidade, a apresentadora Eliana, de 43 anos, enfrenta o momento mais delicado de sua vida.

Gestante, a loira que mantém um relacionamento de pouco mais de dois anos com o produtor artístico global, Adriano Ricco, espera pelo primeiro filho do casal e antes de completar três meses de gestação, foi diagnosticada com um descolamento de placenta parcial, que foi descoberto após a mesma sofrer uma intensa hemorragia enquanto estava em casa.

Necessitando passar por uma cirurgia emergencial, a fim de realizar uma manutenção em sua bolsa gestatória e evitar um possível aborto, a apresentadora não pensou duas vezes e se submeteu ao procedimento cirúrgico, que visava, acima de qualquer outra coisa, prezar a vida de sua bebê.

A comunicadora, que já é mãe de Arthur Bôscolli, fruto de seu casamento de sete anos com o famoso empresário do ramo musical, João Marcelo Bôscolli, espera agora por Manuela, que teve seu nome escolhido pelo irmão mais velho.

Passado o susto e tendo sua cirurgia bem sucedida, Eliana foi instruída pelos especialistas que a acompanham a se manter em repouso absoluto até a chegada da filha. Acatando todas as orientações médicas, a loira, que após passar 42 dias internada em um hospital na grande São Paulo, foi levada para a casa da mãe e de lá aguarda ansiosamente a chegada de sua 'Manu'.

Passando o comando de seu programa dominical no SBT para a apresentadora Patrícia Abravanel, filha de Silvio Santos, Eliana pausou suas atividades profissionais e sociais e pretende retomá-las logo após o nascimento de sua herdeira, previsto para acontecer ainda este mês.

Em evidência na mídia, a loira que é muito querida pelo público, cedeu uma entrevista à revista 'Veja', onde relatou ter sofrido um aborto espontâneo em novembro de 2016 e que o acontecimento a marcou demasiadamente, pelo fato de ter desejado muito ter um filho com o noivo Adriano.

Em tom de desabafo, a loira revelou que após a perda do bebê, que se encontrava com dois meses, ela começou a sentir muito medo, pois já havia entrado na casa dos 40 anos e ela tinha consciência de que aquilo poderia atrapalhar o casal.

Revelando que na época poucas pessoas ficaram sabendo do aborto que havia sofrido, Eliana ressaltou que essa perda foi um dos principais motivos por ter lutado tanto pela vida da filha, que hoje é vista como um milagre.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo