Durante o programa ‘’Encontro’’, da Rede Globo, desta terça-feira (3), o assunto discutido foi a restrição de crianças em hotéis e restaurantes. Entre os convidados da manhã, estavam o ator Tonico Pereira e a atriz Sabrina Petraglia. A discussão foi aberta se os participantes concordavam ou não com a decisão de alguns estabelecimentos não permitirem crianças.

Todos que estavam no palco foram contra. Então, a apresentadora Ana Furtado, que está substituindo Fátima Bernardes, convidou uma moça da plateia para participar da discussão.

A mulher, que não tem filhos, disse que é a favor, porque não gosta de ir a restaurantes com os amigos e ser incomodada por crianças, que ficam correndo e gritando.

O ator Tonico Pereira, que está interpretando Abel, pai de Zeca em ‘’A Força do Querer’’, discordou da moça. O ator disse que teriam que proibir adultos chatos e bêbados em bares e restaurantes também. Ele complementou, relatando que quando se incomoda por causa do barulho, ele pede para o garçom arrumar outra mesa para ele.

Sabrina disse que o maior problema é a intolerância, que todos tem que aprender a conviver e que cabe aos pais educarem os seus filhos e segurarem a onda deles em ambientes públicos.

Além disso, as pessoas que vão a lugares públicos têm que saber se comportar e respeitar o jeito do outro.

A discussão ficou mais interessante quando Ana Furtado chamou mais uma pessoa da plateia. Desta vez foi um homem, que foi ao ‘‘Encontro’’ de avião. Ele disse que no avião que estava havia quatro crianças barulhentas e arteiras, e os pais não faziam nada para conter os filhos, ficaram com ‘’cara de paisagem’’, como relatou o entrevistado.

Tonico Pereira, no alto dos seus 68 anos, ao ouvir o jovem dizendo que gostaria de ter pedido para descer do avião, brincou: ‘’Por que não atirou as crianças pela janela?’’, em tom de crítica ao homem. A apresentadora não gostou do comentário e disse para o ator não fazer este tipo de comentário, que não era permitido. Tonico Pereira disse que não se censurava seus pensamentos e falaria o que quisesse.

Lair brinca que o rapaz teve muito azar e Josie, a outra simpatizante da restrição de criança, disse que não é azar, é que as pessoas que têm filhos acham tudo normal. Já para eles, que não tem é difícil aceitar certos comportamentos dos filhos dos outros.

Ana Furtado disfarçou e continuou a pauta do programa, perguntando a psicóloga qual o tipo de problema que essa restrição pode causar na cabeça das crianças.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

A psicóloga fala que os pais têm que ensinar os filhos a se comportarem nos ambientes públicos e não será a restrição que resolverá. Outro ponto é não generalizar, pois dizer que todas as crianças são mal-educadas está errado.

Não perca a nossa página no Facebook!