Segundo o jornalista Leo Dias, do programa do SBT, Fofocalizando, o funkeiro Mc Kevinho teria deixado a fama subir à sua cabeça. Kevinho tinha um show agendado para o último sábado, 21 de outubro e compareceu ao local, entretanto, minutos depois, desistiu de se apresentar e foi embora.

O show aconteceria em uma boate localizada na Ilha do Governador, zona norte do Rio. O funkeiro tem uma justificativa para o abandono do show, sem dar qualquer satisfação para os fãs.

Publicidade
Publicidade

Segundo ele, o contratante se recusou a pagar o valor que ele teria combinado.

Já o gerente da casa de shows, Franco de Campos, nega a acusação de Mc Kevinho e afirma que pagou R$ 45 mil ao funkeiro e combinou de dar mais R$ 2 mil, após a apresentação musical. O gerente ainda salienta que está estudando o caso para ingressar com uma ação cível contra o funkeiro, o que pode gerar um grande gasto, pois o estrago causado pela atitude de Kevinho, é exageradamente alto, já que os fãs do Mc não só quebraram tudo no local, como saquearam o máximo que conseguiram.

A assessoria do funkeiro ainda não se pronunciou sobre o caso.

Mc Kevinho e suas polêmicas

Recentemente, o funkeiro também foi alvo de muitas críticas, pois, após fazer sucesso com sua música integrando a trilha sonora de A Força do Querer, Kevinho se recusou a tirar fotos e dar autógrafos para cerca de 30 crianças que assistiram ao seu show, pois alegou que tinha um compromisso em outra cidade.

Antes disso, na mesma ocasião, o funkeiro recebeu R$ 50 mil para fazer um show de uma hora, e só cantou 28 minutos, alegando que não podia chegar atrasado em outro compromisso, pois não queria pagar multa.

Publicidade

A história é cheia de contradições e a assessoria de Kevinho afirma que o funkeiro tirou fotos e deu autógrafos antes de cantar, bem como culpou a organizadora do evento pela apresentação compacta, uma vez que, segundo a nota oficial, o som teria falhado e o Mc ainda assim tentou continuar o show.

No final de setembro, o jornal Extra divulgou que Mc Kevinho foi contratado para cantar em uma festa de quinze anos no interior de Minas Gerais. Ele recebeu um total de R$ 85 mil, incluindo seu cachê, hospedagem e passagens aéreas.

No contrato, ao qual o jornal Extra teve acesso, estava estipulado que ele se apresentaria às 2h da manhã, mas apareceu no local às 6h30, quando não havia mais festa.

A família da adolescente ingressou com uma ação cível, pedindo indenização por danos morais. Também citaram que a moça está sendo zoada pelos amigos, que acharam que ela mentiu que contratou o funkeiro para a sua festa.

Leia tudo