Publicidade
Publicidade

O rock nacional, estilo que, para muitos, está cada dia mais morto, deu sinais de que está mais vivo do que nunca. Em um cenário musical dominado por estilos como funk e sertanejo universitário, sem o menor espaço para o rock nacional, salvo raras exceções, o sold out em menos de 20 minutos dos ingressos para o show do grupo paulistano de hardcore CPM 22, que acontecerá às vésperas do Natal, no quase finado Hangar 110, comprovou a força da banda e do público underground.

Alguns fãs, frustrados com o encerramento das vendas, postaram na página oficial do evento mensagens solicitando um show extra e reclamando pelo fato de não conseguirem comprar a entrada.

Publicidade

No melhor estilo os primeiros serão os últimos, o evento que marcará o fim das atividades da tradicional casa punk rock será o último show exatamente da banda que inaugurou este espaço, que é considerado um templo sagrado do cenário alternativo, não só de São Paulo, como do Brasil.

Hangar 110 e CPM 22: O fim de uma era

Assim como o célebre clube de New York CBGB (sigla para Country, Bluegrass, and Blues and Other Music For Uplifting Gormandizers), berço da cena punk americana, o Hangar 110 foi responsável por abrigar e alavancar um cenário efervescente no Brasil, dando espaço para o punk, hardcore e o rock em suas mais diversas vertentes.

De outubro de 1998, quando ocorreu o primeiro show com o CPM 22 no palco, até os dias de hoje, cerca de 3 mil bandas já se apresentaram no local. Com direito a pedido de casamento durante um show do Dance of Days, até shows históricos de bandas gringas, caso de The Varukers, The Exploited e G.B.H. (UK), Agnostic Front (USA), Stiff Little Fingers (Irlanda), Força Macabra e Riistetyt (Finlândia), são quase 20 anos de história pra contar.

Álbum recente demonstra fôlego e fortalecimento das raízes do CPM 22

Do underground ao mainstream, uma das características mais marcantes do CPM 22 foi sempre se manter fiel às raízes “hc melódicas” do grupo, sem deixar que isso limita-se a criação artística.

Publicidade

Com referências que trafegam entre o punk, street punk, ska e até rock alternativo, de questões sociais até existenciais, fato é que o grupo, no alto de sua maturidade, talvez se encontre em seu melhor momento.

Seu mais recente disco, denominado “Suor e Sacrifício”, caiu no gosto dos fãs e até mesmo da crítica especializada, trazendo canções que soam até como hinos e outras bem emocionantes, caso de “Honrar Teu Nome”, que faz referência ao pai do vocalista Badauí.

Com capacidade para 640 pessoas, o show, que acontecerá dia 23 de dezembro, no Hangar 110, tem tudo para ser uma celebração, encerrando um ciclo que, ao menos por enquanto, deixará muitos “órfãos” com o fechamento de uma casa que sempre foi tão necessária para os adeptos de rock alternativo em geral.

Confira o vídeo da canção "Ser Mais Simples", lançado em agosto passado: