São negros os dois rapazes que fizeram as filmagens que flagraram o apresentador William Waack, da Rede Globo, cometendo racismo contra pessoas de pele escura. Diego Rocha Pereira, de 28 anos, é operador de VT, e Robson Cordeiro, de 29 anos de idade, é designer gráfico. Os dois estavam presentes no link ao vivo envolvendo Waack e um convidado, em Washington, cidade com enorme população negra nos Estados Unidos.

Eles são produtores de festa negra na cidade de São Paulo e disseram que ficaram muito ofendidos com o que ouviu do jornalista da Globo, e decidiram filmar tudo com o próprio celular.

Diego foi quem fez as imagens originais e atualmente o rapaz já não é mais funcionário da Globo. “Tudo aconteceu quando a produção estava colocando o microfone nele”, disse o operador. Quando flagrou Waack falando que barulho é coisa de preto, Diego disse que ficou abismado e voltou a filmagem para ter certeza do que estava ouvindo. O rapaz conta que não estava acreditando no que William estava falando e ficou tão revoltado que “filmei com meu celular”, disse o operador.

‘Se não é do William Bonner, não interessa’

Muitos indagaram aos jovens rapazes sobre o porquê de eles só soltarem as imagens agora, um ano depois do acontecimento – Waack fazia link ao vivo sobre a eleição americana de 2016. Como resposta, Diego explicou que já tinha feito a denúncia do fato para a mídia, mas não houve sequer manifestação de ninguém para divulgar o acontecimento. Ele diz que ouviu um “se não é do William Bonner, não nos interessa.”

Porém, segundo os dois rapazes, eles acabaram soltando o vídeo em um grupo de líderes de movimentos negros em aplicativo de internet e conta que essa situação não foi premeditada. No entanto, os amigos só queriam mostrar para as pessoas que existe uma pessoa, jornalista, influente, que faz esse tipo de comentário racista.

Internautas dizem que rapazes querem fama e dinheiro, eles respondem

Alguns seguidores de rede social dizem que os dois rapazes negros só estão querendo fama e dinheiro com esse caso. No entanto, eles se defendem, afirmando que, se o objetivo dos dois fossem esse, eles teriam feito a divulgação do vídeo há muito tempo.

Diego também contou que as filmagens já chegaram a ser perdida por ele, após um problema grave em seu celular.

Os dois rapazes até já davam como certa a eliminação do vídeo de forma espontânea. No entanto, segundo os rapazes, Robson tinha um backup de imagens e vídeos do celular e isso fez com que o vídeo voltasse a aparecer para os dois, integralmente.

Ramos e Pereira, no final do depoimento, disseram que comentários racistas, para os dois, são algo normal do cotidiano da vida das pessoas. Eles contam que são bombardeados com episódios parecidos semanalmente.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo