Publicidade
Publicidade

Todos sabem da capacidade profissional de William Waack e por isso mesmo vários colegas de trabalho saíram em sua defesa após seu afastamento do jornal da Globo, depois do vazamento de um vídeo na internet. Mesmo aqueles que não gostam muito dele, o consideram um dos jornalistas mais capacitados e competentes do país.

Colegas de trabalho em defesa de William Waack

Vários colegas de profissão foram até a direção da emissora ou mesmo enviaram um pedido por escrito para pedir seu retorno ao Jornal da Globo.

Publicidade

Mas até o momento nada foi resolvido e por enquanto Renata Lo Prete continua apresentando o Jornal.

É bom lembrar que ele também foi afastado do programa Painel, da GloboNews. Na verdade, são da opinião que a atitude de William foi lamentável e pelo que conhecem dele, dizem que em nenhum momento demonstrou dentro do ambiente de trabalho qualquer atitude preconceituosa.

Todos são unânimes quanto ao seu profissionalismo e experiência, além de ser formador de opinião. O colunista Ricardo Feltrin diz que seus colegas de trabalho ficaram surpresos como que um jornalista da experiência de Waack pôde cometer aquilo.

Qualquer jornalista tem ciência de que o áudio de toda conversa pode ser captada, mesmo estando fora do ar.

Mesmo o que não vai ao ar, fica gravado. Outra jornalista que saiu em defesa de William Waack foi a polêmica Rachel Sheherezade, apresentadora do SBT Rio. Ela postou na sua página do Facebook um comentário onde dizia que o jornalista foi afastado de suas funções por ter supostamente feito declarações racistas, em novembro do ano passado.

Disse ainda: “Caiu na armadilha pérfida dos coleguinhas invejosos, esquerdistas acéfalos e medíocres de todas as nuances.

Publicidade

O “hipocritamente correto” venceu mais uma vez”. Levanta-se a hipótese de que o que pode ter acontecido, como Sherezade comentou, uma inveja em razão de seu sucesso. E quando isso cai na internet, é muito difícil parar. Ela se referiu também ao caso de outros jornalistas que passaram por situações semelhantes como Boris Casoy, Paulo Francis e Reinaldo Azevedo.

Quis dizer que mais uma vez quem perde é o jornalismo brasileiro. É um assunto muito controverso, pois todas as vezes em que o assunto é preconceito racial, os telespectadores não perdoam.

E a Globo está ainda pensando qual atitude vai tomar, mesmo tendo plena consciência do profissionalismo de William Waack. Porque não quer sua imagem associada a um tema tão polêmico.