Anúncio
Anúncio

Todos sabem, ou a maioria das pessoas sabe que o casal Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank adotou uma linda menina durante uma visita a África. Desde então, titi ganhou vários admiradores graças ao seu charme e estilo. Porém, nem todos compartilham as mesmas opiniões. Mais uma vez, a socialite Day McCarthhy causa, desferindo palavras duras e cruéis contra as pessoas.

Após ser preconceituosa e maldosa com Rafaella Justus, filha de Robertos Justus e Ticiane Pinheiro que possui uma doença, dessa vez, seu alvo foi uma criança de apenas 4 anos, a pequena Titi, que é filha adotiva do atores giovanna ewbank, 31 anos e Bruno Gagliasso, 35 anos.

O caso de racismo contra a menina ganhou uma grande repercussão e muitas pessoas se mostraram indignadas com o vídeo que circula na internet.

Para quem não sabe, em um vídeo a socialite Day McCarthy ofende a pequena Titi, se referindo à criança como uma ‘’macaca horrível’’ de cabelo de palha, entre outros comentários preconceituosos e racistas. Até alguns fãs da socialite repudiaram suas amargas palavras. Diante da situação, muitos fãs do casal global e da pequena Titi prestaram solidariedade através de diversos comentários.

Anúncio

Já os pais da criança agradeceram ao apoio dos fãs e confirmou que os advogados já estariam tomando as providências necessárias. A atriz e modelo Giovanna Ewbank ainda postou em seu Instagram uma foto da pequena Titi radiante e linda como sempre, com a seguinte frase: ‘’Bom domingo com amor e a pureza de uma criança a todos que têm nos mandado mensagens sobre o acontecido, racismo é crime’’ e ressaltou as providenciais legais para o caso.

O ator Bruno Gagliasso postou uma frase da filósofa americana Angela Davis: ‘’Numa sociedade racista, não basta não ser racista, é necessário ser antirracista.’’

Racismo e Injúria racial perante a lei

O crime de injúria racial é previsto em lei no artigo 140, paragrafo terceiro, do Código Penal, cuja pena é de um a três anos de reclusão e multa.

Anúncio

Cometer injuria racial é ofender a dignidade ou o decoro, usando elementos como cor, raça, etnia religião, origem ou condição de pessoas idosas ou pessoas portadoras com deficiência.

O crime de racismo, previsto na lei 7.716/1989, implica a conduta discriminatória dirigida a uma determinado grupo ou coletividade. Neste caso, cabe ao Ministério Público legitimidade para processar o ofensor.

Gostou do artigo? Compartilhe com os amigos e em suas redes sociais.