Eleita a Miss Brasil no ano de 1999, apresentadora de TV e formada em direito e jornalismo, Renata Bonfiglio Fan é uma gaúcha fanática por esportes que apresenta o programa ‘’Jogo Aberto’’, na emissora Bandeirantes, em TV aberta. Antes de comandar o programa, trabalhou como locutora em programas de rádio e já foi responsável pela agenda cultural do programa Tele Domingo.

Logo em seguida, estreou na Record, sendo assistente de Milton Neves no programa ‘’Terceiro Tempo’’ e também no ‘’Debate Bola’’.

Publicidade

Comandou programações que chegaram até a competir com a Globo em audiência. É também levemente conhecida como o ‘’Furacão Vermelho’’ por conta de sua paixão pelo Internacional Futebol clube.

Nessa terça-feira (14), Renata Fan foi convidada a estar no programa ‘’Bola da vez’’, da espnW, como entrevistada, com o objetivo de falar sobre sua vida pessoal, carreira e sobre o espaço das mulheres no esporte, que está cada vez sendo mais conquistado com o passar do tempo. Ela, tendo a oportunidade de falar sobre suas preferências, abriu o jogo e disse que, de fato, não levava jeito como jogadora e que nunca imaginou que chegaria a trabalhar diretamente com jogadores e com profissionais da área.

Ela admitiu ter sofrido preconceito por ser Mulher, mas também disse ter vencido essa rejeição e falou até sobre como conseguiu vencê-lo. "Não foi rápido. Fui aprendendo, dando pitaco, mostrando que eu era capaz e não só um rosto bonito. E as pessoas começam a prestar atenção na sua coerência e na visão que você tem do assunto. Gosto de brigar pelo que acredito e não tenho medo se alguém mais influente e capacitado está discutindo comigo", afirmou Renata.

Sendo questionada sobre o Feminismo pela apresentadora de TV Gabi Moreira, Renata deixou claro que, apesar de ter sofrido muito preconceito, não concorda com o vitimismo das mulheres.

Publicidade

Quando disse que lutaria pelos direitos das mulheres, Gabi Moreira retrucou dizendo ‘’mas isso é feminismo’’. Logo em seguida, Fan respondeu: "Isso não é feminismo, sou eu mesma".

Deixando claro que o que faz a pessoa alcançar seus objetivos é a força de vontade, a constância e a humildade, Renata deu suas considerações finais dizendo que já foi ofendida, mas teve que saber peneirar opiniões contrárias e afirmou: "Mulheres não têm que ter privilégios".

Disse que em um bate-boca, é necessário que a pessoa seja esperta para que se possa manter o nível da discussão e que se mostrar bem preparado e disposto a defender sua opinião com excelência é o ponto-chave para que ninguém questione sua competência no assunto.

Renata Fan disse também que as mulheres precisam parar de se esconder por trás do seu lado feminino, parar também de tentarem usá-lo como justificativa para algo que não deu certo.